Home / O que é infoproduto e como empresas podem vender esse tipo de conteúdo

O que é infoproduto e como empresas podem vender esse tipo de conteúdo

Fonte: Meio e Mensagem

14 de dezembro de 2022

Segmento de serviços digitais de infoprodutos devem alcançar uma receita de US$ 241 bilhões por ano até 2027, segundo pesquisa

Muitas empresas e até mesmo pessoas físicas buscam descobrir o que é infoproduto para rentabilizar o seu conhecimento e a sua expertise em determinado assunto.

O crescente interesse em torno desse mercado está no potencial de lucro. De acordo com uma pesquisa da Valuates Reports, os serviços digitais de infoprodutos vão alcançar uma receita de US$ 241 bilhões por ano até 2027.

Além disso, desde a pandemia da Covid-19, também há uma maior demanda por educação online.

Segundo o relatório Online Learning Steps Up: What the World is Learning (from Home), da Udemy, após o isolamento social, o número de matrículas na plataforma — considerada uma das principais na venda de produtos digitais — cresceu 425% a nível global. Só no Brasil, a expansão foi de 95%.

O que é infoproduto?

O infoproduto é um produto exclusivamente digital e predominantemente educacional, que costuma se basear na formação profissional ou na experiência do produtor de conteúdo. Esse tipo de mercadoria pode ter diferentes formatos, como:

– e-books;

– tutoriais;

– webinars;

– podcasts;

– videocasts;

– mentorias;

– cursos online;

– entre outros.

Um CEO de uma agência digital, por exemplo, poderia criar um curso online ou uma mentoria para transmitir seus conhecimentos sobre liderança e gestão para outros donos e gestores de agências.

Ou, então, uma clínica dermatológica que atua com Clean Beauty (beleza limpa) poderia criar um e-book para ensinar sua audiência a ler rótulos de cosméticos para que ela seja capaz de identificar o que está consumindo e evitar ingredientes nocivos.

Normalmente, esses materiais são vendidos como arquivos para download ou disponibilizados em plataformas de cursos online, como Udemy e Hotmart.

Quais são as vantagens dos infoprodutos?

Muitos motivos levam empresas a pesquisarem o que é infoproduto para, então, desenvolver seus próprios produtos digitais. Uma das principais razões é o custo de produção.

Em comparação com as mercadorias físicas, os custos envolvidos na criação de material digital costumam ser menores.

Além disso, uma vez que o produto é lançado, pode ser vendido de forma ilimitada. Ou seja, é um negócio escalável e com chances de crescimento exponencial. 

Outra vantagem é que são entregues eletronicamente, o que significa que não há custos de envio e os clientes podem acessá-los instantaneamente. E por serem vendidos online, podem se tornar acessíveis a um público global.

O conteúdo ainda pode ser atualizado regularmente para que os clientes tenham acesso a informações mais recentes e, assim, manter o material atrativo.

Por fim, a partir da venda de um produto digital de qualidade, a empresa — ou a pessoa — pode se tornar uma referência em seu nicho, o que contribui para a fidelização, aumento das vendas e autoridade da marca.

Tipos de infoprodutos

Existem diferentes tipos de infoprodutos no mercado: podcasts, e-books e cursos digitais são alguns exemplos mais comuns. Confira os principais formatos:

E-books

E-book é um livro digital que pode ser baixado e lido em um computador, celular, e-reader ou outro dispositivo eletrônico.

É o formato mais simples e mais popular de infoproduto. Os e-books costumam ser utilizados como iscas digitais para gerar leads, mas também podem ser usados como porta de entrada para a venda de itens de maior valor agregado, como cursos online.

Uma vantagem dos e-books é que eles costumam ter custo acessível, além de serem fáceis de armazenar e transportar. Também podem ser baixados e lidos instantaneamente.

Por essas razões, é uma opção atraente para pessoas que querem ter acesso à informação de forma rápida e fácil.

Podcasts

Já populares entre o público brasileiro, podcasts são arquivos de áudio disponibilizados na internet para download ou em plataformas de streaming.

As gravações podem englobar palestras, discursos, debates e entrevistas. Geralmente, funcionam como uma série, em que os novos episódios são enviados aos assinantes automaticamente.

Uma das principais vantagens é a facilidade para ser consumido. As pessoas podem ouvir o conteúdo enquanto fazem outras atividades, por exemplo, no trajeto até o trabalho ou durante a prática de exercícios físicos.

Inclusive, é um dos formatos que mais cresceu em todo o mundo. No Brasil, uma pesquisa da Statista revelou que 40% dos brasileiros já consomem este tipo de conteúdo.

Audiobooks

Já o audiobook é um livro lido em voz alta em uma gravação, geralmente em formato MP3.

Com ele, é possível narrar o conteúdo para o cliente e tornar o consumo de informação mais simples e conveniente.

Afinal, assim como o podcast, também permite que o ouvinte escute enquanto realiza outras atividades do dia a dia.

A grande vantagem do formato é a praticidade na produção. Basta ter um bom roteiro, um microfone de qualidade e um ambiente sem barulhos externos.

Tutoriais (Screencasts)

Um vídeo tutorial, também chamado de screencast, é um conteúdo digital que fornece instruções sobre como fazer algo a partir da filmagem da tela do computador. Os tutoriais que ensinam a utilizar um software, site ou ferramenta são os principais exemplos.

Geralmente vêm na forma de download, como arquivo MP4, ou um vídeo streaming, publicado em plataformas de curso online.

Além de serem mais rápidos e fáceis de produzir, também é vantajoso para a audiência, já que fornecem instruções passo a passo, de forma visual, que podem ser seguidas no ritmo de cada pessoa.

Também podem ser pausados e reproduzidos conforme necessário para que os espectadores se concentrem em seções específicas caso precisem de mais tempo para entender os conceitos que estão sendo ensinados.

Cursos online

Um curso digital é um produto educacional entregue online. Normalmente inclui uma série de aulas em vídeo, juntamente com materiais de apoio, como planilhas, questionários e e-books.

A maioria dos cursos online são autodidatas, o que significa que os alunos podem trabalhar com o material em seu próprio ritmo. Outros são estruturados como cursos ao vivo, com o lançamento de aulas esporádicas, geralmente semanalmente ou mensalmente.

Como podem ser acessados de qualquer lugar do mundo e concluídos no ritmo de cada aluno, os cursos digitais oferecem uma opção de aprendizagem flexível e conveniente para adultos.

É um formato amplamente aceito e consumido pelo público. De acordo com o Censo de Educação Superior 2020, a quantidade de alunos que ingressaram na modalidade de ensino à distância superou o ingresso em cursos presenciais.

Quais são os infoprodutos mais vendidos?

Além de saber o que é um infoproduto, também é importante ter conhecimento de quais são os formatos mais populares.

De acordo com análises da Hotmart, plataforma de ensino a distância, os produtos digitais mais vendidos são:

– e-books;

– cursos online e consultorias;

– clubes de assinatura;

– audiobooks e produtos em áudio;

– infográficos e planilhas.

O estudo ainda revelou quais são os nichos digitais mais buscados pelos consumidores:

– Negócios e carreiras;

– Finanças e investimentos;

– Pets e jardinagem;

– Educação;

– Saúde e bem-estar.

A maior parte das pessoas buscam produtos digitais que resolvam alguma dor ou necessidade em torno desses temas.

Como está o mercado de infoprodutos?

Impulsionado pelo crescimento do digital, do e-commerce e do isolamento social por conta da pandemia da Covid-19, o mercado de infoprodutos está em expansão.

Além das projeções indicarem que o setor irá movimentar uma quantia cada vez maior, conforme apontou o estudo da Valuates Reports mencionado no início do texto, outros estudos indicam que a adesão também irá aumentar.

De acordo com projeção da Forrester, em até dez anos todas as empresas do mundo farão parte desse mercado. Portanto, o setor promete se tornar ainda mais potente nos próximos anos. 

É verdade que o mercado de infoprodutos está saturado?

Muitas pessoas acreditam que o mercado de produtos digitais está saturado. Afinal, já existem muitas empresas e especialistas ensinando sobre os mais diversos assuntos na internet.

No entanto, ainda que este mercado possa ser concorrido, sempre há espaço para um novo infoproduto, ainda mais quando ele é de qualidade e produzido por quem é notoriedade em um determinado setor.

Além disso, é importante frisar que os consumidores tendem a comprar de empresas que têm afinidade — e a mesma lógica costuma se aplicar aos produtos digitais.

Portanto, se a marca possui uma audiência fiel e know how em seu nicho de atuação, poderá se destacar e ter sucesso.

Porém, para entrar nesse mercado, é crucial dominar uma temática e ser referência neste determinado segmento. Logo, antes mesmo de desenvolver um produto digital, as marcas precisam investir em sua reputação, credibilidade e notoriedade.

6 dicas para vender um infoproduto

Após saber o que é infoproduto e descobrir que ainda há espaço para marcas que desejam explorar esse mercado, confira as principais estratégias de venda para comercializar um item digital:

1. Pesquisa sobre o público-alvo 

Assim como qualquer estratégia de marketing, o primeiro passo é a definição do público-alvo que se deseja atingir, bem como do nicho digital onde a marca irá atuar.

A escolha dos canais de divulgação, do formato, da plataforma onde o material será hospedado e até mesmo a forma como o conteúdo será produzido devem estar alinhadas ao público.

A partir do momento que a empresa conhece a fundo a sua audiência, é capaz de determinar a dor dessa persona e como poderá resolvê-la.

2. Definição de formato, tema e objetivo

Em seguida, a empresa precisa definir qual será o formato do produto. Será um e-book, um curso online ou um conteúdo em áudio? A escolha deve ir ao encontro às preferências do público-alvo.

Também é preciso determinar o tema do projeto, que deve ser interessante e relevante para a audiência, além de ser um assunto que a marca tenha total domínio.

Por fim, deve-se estabelecer o objetivo do conteúdo, seja ajudar as pessoas a melhorar suas vidas ou simplesmente proporcionar entretenimento. 

3. Escolha da plataforma de hospedagem

Há diversas plataformas disponíveis para disponibilizar e comercializar o conteúdo. As mais famosas são: Hotmart, Alura, Monetizze e Udemy. 

Cada uma possui vantagens e desvantagens. É necessário comparar as opções para determinar qual a opção ideal para hospedar o conteúdo.

Vale levar em consideração aspectos como: valor da comissão de vendas, formatos aceitos, espaço de armazenamento, escalabilidade, métodos de pagamento para o cliente, recursos disponíveis, etc.

4. Desenvolvimento do conteúdo

Após definir alguns aspectos importantes, a marca já pode começar a criar o infoproduto em si. Neste passo, é indispensável ter autenticidade e clareza do que será transmitido à audiência para criar um conteúdo de qualidade.

O sucesso do infoproduto dependerá do valor que o entregável oferece ao público. Quando o conteúdo não é autêntico ou é muito raso, pode prejudicar a imagem da empresa. 

Afinal, na internet, os usuários costumam compartilhar suas experiências com os outros, especialmente quando se sentem lesados ou insatisfeitos. Portanto, além de não gerar vendas, a reputação da marca pode ser comprometida.

5. Criação do modo de lançamento

O modo de lançamento é a maneira como o infoproduto é lançado para o público. Há empresas que aderem a modelos específicos.

O mais comum é a Fórmula de Lançamento, de Jeff Walker, um método de vendas que costuma utilizar gatilhos mentais para convencer o cliente a adquirir o produto. 

Nesse momento, também é interessante validar a ideia do produto e o interesse do público antes do lançamento em si. 

Para isso, é possível vender um item de menor valor agregado, por exemplo, uma live fechada ou um e-book. Desta forma, a empresa pode verificar se as pessoas pagariam para adquirir o produto digital.

6. Divulgação

Para informar e despertar o interesse do público, a divulgação é uma etapa essencial, tanto no lançamento, quanto para manter as vendas recorrentes. 

Nessa etapa, a empresa deve explicar, de forma transparente e concisa, o que é o infoproduto, quais seus benefícios, como ele pode ajudar o cliente e quais dores soluciona. 

Já em relação às estratégias utilizadas, pode-se recorrer a mídia paga, marketing de afiliados, e-mail marketing, redes sociais, entre outras.

Resumo do tema

Descobrir o que é infoproduto é o primeiro passo para as empresas identificarem se esse tipo de conteúdo se encaixa em suas estratégias de negócio e se vale a pena ingressar nesse mercado.

A venda de produtos digitais, como e-books, cursos online e podcasts, pode ser vantajosa para as marcas, já que esse formato de conteúdo possui menores custos de produção, margem de lucro elevada, grande alcance e escalabilidade.

No entanto, desenvolver um infoproduto não é uma tarefa simples. Para criar e comercializar com sucesso um produto digital, é necessário ter conhecimento do público-alvo e criar conteúdos de qualidade que satisfaçam as necessidades da audiência, além de utilizar um método de lançamento eficaz a partir de estratégias de divulgação.

Confira matéria no Meio e Mensagem

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Gestão para empreendedores: o novo livro de Antônio Lino Pinto
Em seu quarto livro, o consultor Antônio Lino Pinto recomenda práticas simples de gestão para todos os tipos de empreendedores – de empresas de tecnologia a salões de beleza. Administrador com especialização em finanças e sócio da Viramundo Consultoria em Gestão, Lino é autor dos livros Pequenas agências, grandes resultados, Abri minha agência, e agora? e Gestão em agências […]
Mais que um trabalhador, seja você o trabalho
Artigo de Eduardo Simon, sócio e CEO da Galeria e VP da ABAP, fala sobre atitude empreendedora.

Receba a newsletter no seu e-mail