Home / O cenário da publicidade personalizada: eficiência versus privacidade

O cenário da publicidade personalizada: eficiência versus privacidade

Fonte: Forbes

1 de setembro de 2023

A publicidade digital está sempre passando por um mar de mudanças. Os anúncios personalizados surgiram como uma ferramenta poderosa para cativar os consumidores. Hoje em dia, marcas e anunciantes têm a capacidade de adaptar as suas mensagens a dados demográficos específicos com base nos seus interesses, rendimentos e comportamento. Este nível de personalização e direcionamento deu origem a questões de privacidade e proteção de dados. Os anunciantes e as marcas têm de estar atentos ao tipo de dados que recolhem e precisam de garantir que não violam a privacidade dos utilizadores.

O poder dos anúncios personalizados

Com o poder dos dados, os anúncios digitais estão se tornando cada vez mais personalizados e customizados. Os anunciantes são capazes de criar campanhas publicitárias altamente relevantes e direcionadas. Por exemplo, uma plataforma de streaming pode aplicar princípios de aprendizado de máquina para compreender o conteúdo de vídeo consumido em sua plataforma de streaming, a fim de entregar anúncios relevantes aos seus clientes.

O objetivo é entregar anúncios que possam aumentar o engajamento, aumentar as taxas de conversão e ter maiores taxas de retenção. Além disso, o Hulu está reduzindo a barreira de entrada para anunciantes menores. De acordo com um artigo da DigiDay, o Hulu está permitindo que os anunciantes gastem um mínimo de US$ 500 para colocar seus anúncios na plataforma de streaming. Isso permitiria que os anunciantes alcançassem um vasto público-alvo em segundos.

Considerações Éticas e Privacidade do Usuário

A cada dia que passa, os utilizadores online continuam a levantar preocupações éticas em relação à privacidade dos dados. Várias empresas estão coletando uma grande quantidade de informações de identificação pessoal, histórico de navegação, localização e conjuntos de dados relacionados às mídias sociais. O desastre do Cambridge Analytics levou a que diferentes governos em todo o mundo se unissem para proteger os utilizadores online de qualquer tipo de violação de dados. O incidente enfatizou a necessidade de políticas e medidas de proteção de dados mais rigorosas.

Os usuários devem estar cientes dos diferentes tipos de conjuntos de dados que um site está tentando coletar. Os anunciantes devem ser transparentes sobre os dados que desejam coletar e como eles serão implementados. Os usuários devem receber uma abordagem clara de aceitação e exclusão para permitir que o usuário tome a decisão final sobre o tipo de dados que deseja compartilhar. Isso permitiria que marcas e anunciantes construíssem relacionamentos duradouros com seus clientes online.

O papel dos regulamentos

A União Europeia (com o seu Regulamento Geral de Proteção de Dados) desempenhou um papel significativo na implementação de salvaguardas e medidas específicas para garantir que os seus cidadãos não partilham conjuntos de dados que seriam sensíveis à partilha com terceiros. O Estado da Califórnia (Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia) e a Virgínia (Lei de Proteção de Dados do Consumidor da Virgínia) seguiram o exemplo para garantir que seus cidadãos estivessem protegidos em todos os momentos.

O cumprimento dessas regulamentações protege a privacidade do usuário e garante que os anunciantes mantenham sua reputação e evitem multas pesadas. Por exemplo, a Google foi multada em 400 milhões de dólares ao abrigo do RGPD por violar os requisitos de transparência e consentimento em 2022. A adesão às diretrizes regulamentares não só demonstra um compromisso com a privacidade, mas também ajuda as marcas a promover uma relação positiva com os consumidores.

Personalização de anúncios usando inteligência artificial

A IA sempre desempenhou um papel crucial na publicidade digital. Desde os anos 90, a publicidade digital incorporou a IA na forma de compra programática. A compra programática é uma abordagem automatizada e baseada em dados para comprar canais de anúncios em tempo real para atingir o público-alvo relevante definido no momento certo.

Com o crescimento de ferramentas baseadas em IA, como ChatGPT, Midjourney e Stable Diffusion, para citar alguns, marcas e anunciantes são capazes de criar anúncios personalizados em escala para o ecossistema de compra programática. Marcas e anunciantes estão adotando uma abordagem mais rápida ao mercado, gerando os criativos e cópias de anúncios necessários usando essas ferramentas.

Tendências e desafios futuros

O futuro da publicidade digital será moldado pelo crescimento e adoção da realidade aumentada e da realidade virtual, mas ambas as aplicações tecnológicas trazem consigo muitas preocupações com a privacidade. A forma como as marcas e os anunciantes interagem com um usuário individual ainda não foi determinada.

À medida que a pesquisa por voz se torna mais predominante através da utilização de smartphones e dispositivos domésticos inteligentes, os anunciantes e os decisores políticos terão de estar atentos ao tipo de conjuntos de dados individuais que podem ser estudados e implementados nesta área.

Bloqueio de anúncios e fadiga de anúncios

Por meio de aplicativos de marketing digital, como anúncios programáticos, os consumidores-alvo enfrentam fadiga publicitária. Bloqueadores de anúncios como o Ublock estão ganhando muita atenção e popularidade, e isso representa um tremendo desafio para os anunciantes. Os anunciantes estão estudando diferentes formas e métodos para atingir o mercado de seus consumidores sem meios intrusivos, como investir em anúncios nativos ou patrocinados.

De acordo com um artigo da Insider Intelligence, cerca de 40% dos usuários nos EUA utilizam blocos de anúncios. Isto realça os desafios que os anunciantes e as marcas enfrentam e a necessidade de uma abordagem diferente para atingir o seu público-alvo.

As empresas têm a capacidade de adotar uma abordagem centrada no consumidor, como a Apple fez com seu recurso de transparência de rastreamento de aplicativos. O recurso permite que os usuários do iOS optem por ativar ou desativar o rastreamento de aplicativos, permitindo que os usuários tenham controle sobre seus dados.

Com o cenário em constante evolução da publicidade digital, os profissionais de marketing têm uma imensa oportunidade de criar um ecossistema onde anunciam aos seus consumidores sem violar as regulamentações de dados e aproveitando a IA de forma responsável para alcançar o sucesso a longo prazo sem comprometer a confiança do utilizador.

Confira matéria na Forbes

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Palavra Aberta lança documentário sobre os bastidores do jornalismo
Documentário lançado no Dia Internacional do Acesso Universal à Informação conta como funciona o jornalismo, as etapas da produção de reportagens e o papel da imprensa na sociedade e no fortalecimento da democracia.
MPT/SP abre curso gratuito para jovens universitários negros e negras da área de publicidade e propaganda
Curso e-Conexão, voltado para a complementação da formação profissional de jovens universitários negros e negras no setor de publicidade e propaganda, é idealizado e coordenado pelo MPT/SP e contará com acompanhamento das agências Africa, WMcCann e Wunderman Thompson.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail