Home / Frances Haugen, que denunciou o Facebook, pede renúncia de Zuckerberg

Frances Haugen, que denunciou o Facebook, pede renúncia de Zuckerberg

Fonte: Canaltech

3 de novembro de 2021

Desde o início de 2021, o Facebook tem enfrentado meses conturbados, com ocorrências como a invasão ao Capitólio, em Washington DC, e a constante desinformação sobre a vacina. Nada se compara, porém, ao que vem acontecendo nas últimas semanas.

Documentos confidenciais da companhia foram expostos e revelaram informações chocantes sobre o que a empresa pensa de usuários jovens, países em desenvolvimento e conteúdo de ódio na plataforma. Para Frances Haugen, a denunciante que forneceu o material à Security and Exchange Commission (SEC), diz que Mark Zuckerberg deve renunciar.

Para ela, apesar de todos os exercícios de relações públicas e de todas as promessas recentes de segurança, nada vai mudar se não houver uma nova liderança. “Acho pouco provável que a empresa mude se Mark Zuckerberg continuar como CEO. O Facebook seria mais forte com alguém disposto a se concentrar em segurança.”

Frances não é a primeira a desejar que ele se retire do cargo de CEO. Em 2019, vários acionistas queriam que Zuckerberg deixasse a posição. Ao longo dos anos, muitos torceram por esse resultado. Só que esse é o mundo de Zuck e nós apenas o vivemos. Na semana passada mesmo, ele anunciou a mudança da marca do Facebook para Meta e declarou que pretende construir o metaverso, um novo mundo virtual. Quem se importa com o que acontece no mundo real?

Confira matéria completa no Canatech

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Como STF pode regular plataformas digitais após impasse no PL das Fake News
O Supremo Tribunal Federal (STF) pode julgar nesta semana quatro ações com impacto sobre plataformas digitais, como redes sociais e aplicativos de troca de mensagens. O julgamento foi marcado para quarta-feira (17/05) após o PL das Fake News — um projeto de lei que cria uma nova regulamentação para o setor — empacar na Câmara dos Deputados. […]
Procon-SP multa Facebook por apagão
O Procon-SP multou a empresa Meta em R$ 11 milhões pelo apagão do dia 4 de outubro. Segundo o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez, "embora o serviço não seja cobrado, a empresa lucra com os usuários, logo, há relação de consumo".

Receba a newsletter no seu e-mail