Home / Estudo da Ampla alerta: marcas, olhem para o Nordeste

Estudo da Ampla alerta: marcas, olhem para o Nordeste

Fonte: Grandes Nomes da Propaganda

15 de dezembro de 2021

O Black Friday deste ano ainda rende estudos e análises para entender como o mercado varejista deve se comportar no futuro. Pensando nesse sentido, a Ampla, agência com sede no Recife e escritórios em Vitória (ES), Aracaju (SE) e Maceió (AL), o Sebrae-PE, tendo como base comentários nas redes sociais sobre o que mais foi falado sobre o tema pelo consumidor do Nordeste, alerta: mercado varejista, olhe para o Nordeste e suas necessidades.

Segundo o estudo “Ampla Insights: Black Friday 2021 na região Nordeste”, o preço do frete foi o principal fator de escolha de compra do nordestino. A iniciativa procurou entender o comportamento de pessoas do Nordeste nas redes sociais durante o momento de compras em novembro. O objetivo é situar anunciantes, gestores de marketing, profissionais de comunicação e parceiros sobre a inúmeras possiblidades de atuação na região, lançando um olhar sobre temas, hábitos, preferência, perfil demográfico, produtos e outras peculiaridade de localidade.

A Ampla é uma agência full service com forte atuação digital e cultura de investimento em ferramentas de business intelligence. Observa e realiza levantamentos diários para clientes e parceiros em todo o Brasil. A agência conta com profissionais que podem contribuir com estratégias consistentes para os clientes, gerando, assim, melhores oportunidades de negócio.

Análises e resultados – “Assim como o Brasil e o mundo, o Nordeste também sofreu com a pandemia. Com um impacto muito forte na queda de renda em sua principal atividade econômica, o turismo, a região vem se reestruturando e, neste ano, que poderia ser considerado de uma retomada econômico e do poder de compra, o consumidor nordestino se viu não atendido em alguns pontos, notadamente na questão do valor do frete, o que o levou a optar por um fornecedor local em detrimento de um com atuação nacional”, explica Eduardo Breckenfeld, diretor de Planejamento da Ampla.

Segundo ele, esse foi o principal fator de desistência de uma compra, ficando à frente de outros pontos relevantes, como reputação da marca e prazo de entrega. O estudo verificou que consumidores chegaram a comentar que não existe Black Friday para o Norte/Nordeste em razão do alto custo do frete para a região.

Outro dado observado no levantamento é que o nordestino prefere pagar com cartão de crédito – e quanto mais parcelas, melhor – e desejam mais cashbacks e cupons de desconto, até mesmo por uma questão de organizar seu orçamento. O Pix foi pouco citado.

Em razão desses pontos – ou a falta deles – e por oferecem mais vantagens ao shopper, sites e aplicativos asiáticos foram os preferidos do nordestino. Shopee, por exemplo, foi o player mais citado durante a pesquisa em razão de suas condições, como frete grátis para a região e por oferecer cupons de desconto. No tocante às categorias mais desejadas, o consumidor da região, na ordem, comprou mais itens de telefonia, eletrodomésticos e moda.

“Podemos tirar importante conclusões desse estudo. A principal é que o consumidor nordestino é hiperconectado, exigente e ávido por uma boa experiência de compra. É necessário que as marcas, por meio de uma promoção de estratégia de social listening, entendam as necessidades desse público. O nordestino possui particularidades que vão muito além dos números de curtidas e compartilhamentos nos canais das marcas. Preço, por exemplo, não é preponderante.”

De acordo com Breckenfeld, o estudo traz luz sobre como se pode atuar na região nas futuras Black Fridays. “Com essas informações em mãos, vale a pena pensar em estratégia para a Black Friday na região ou unificar possiblidades, considerando o que as cidades têm em comum. Isso é fundamental para se atender o nordestino e como é seu olhar para como a marca o atende. Se uma marca quer falar com a região, deve ‘conversar’ com quem está nela. Importante destacar que há oportunidades na região, pois tem gente querendo comprar. Vale, sim, que grandes players analisem essas informações e revejam suas estratégias, especialmente no que diz respeito ao preço do frete e à estrutura de distribuição”, conclui.

Metodologia – Para a realização do estudo “Ampla Insights: Black Friday 2021 na região Nordeste” foram analisadas menções capturadas entre os dias 1º e 31 de novembro, por meio do monitoramento de palavras-chave, utilizando a #blackfriday ou citações contendo “Black Friday” e suas variações que tiveram associação com o Nordeste ou cidades da região.

Foram considerados apenas usuários ativos no Facebook, Twitter e Instragram. Os dados utilizados para sua realização contemplam informações públicas disponibilizadas pela API (Application Programming Interface, que significa, em tradução para o português, Interface de Programação de Aplicativos) dos canais citados no relatório. O monitoramento capturou mais de 22 mil mensagens em redes sociais.

Confira a matéria no Grandes Nomes da Propaganda.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Coalizão de comunicação social pede mudança no PL das fake news
Entre as alterações que o grupo de entidades sugere estão a aplicação da legislação brasileira que regula o mercado publicitário também para a contratação de publicidade na internet; a valorização do jornalismo profissional, com a sua remuneração pelas big techs; a obrigatoriedade de distinção entre o conteúdo patrocinado e a informação jornalística; e a responsabilização […]
Google, Facebook e outros: big techs devem financiar o jornalismo, diz Microsoft
Em sessão com deputados norte-americanos, a Microsoft deixou claro que apoia o novo projeto de lei do Congresso dos Estados Unidos que prevê a negociação coletiva de empresas de mídia com gigantes de tecnologia como Google e Facebook.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail