Home / Criatividade não conhece barreiras, diz CEO do Cannes Lions

Criatividade não conhece barreiras, diz CEO do Cannes Lions

Fonte: Propmark

31 de agosto de 2021

CEO do Cannes Lions abriu o Cannes Lions Live Show, realizado nesta terça-feira (31) pelo Estadão

CEO do Cannes Lions, Sir Philip Thomas abriu o Cannes Lions Live Show, evento realizado de forma online na tarde desta terça-feira (31), afirmando que a criatividade, mais uma vez, mostrou que não existe barreiras. “Todos nós nos perguntamos se a criatividade sobreviveria à pandemia, mas os vencedores provaram mais uma vez que a criatividade não conhece limites ou barreiras”, afirmou.

O executivo ainda falou sobre a importância de as marcas apoiarem a criatividade. “E se eles (os departamentos de marketing) permitirem que suas agências deixem sua criatividade funcionar realmente livre, então, grandes coisas certamente acontecerão”, destacou Thomas.

Entre as grandes coisas que já aconteceram, pelo menos, está na temática que protagonizou o Cannes Lions de 2020. Presidente-executivo da Ampro, Alexis Pagliarini destacou a temática ESG como uma das principais da edição deste ano do festival. Entre os cases mostrados pelo executivo e colunista do PROPMARK estão os brasileiros ‘Eu Sou’, da VMLY&R para a Starbucks, ‘Parada no Feed’ (GUT SP para Mercado Livre), e ‘Save Salla’, da Africa.

Vencedora do GP de Glass deste ano, a campanha tocou num ponto essencial às pessoas trans, que têm dificuldade para retificar seus nomes. Por isso, no Dia Nacional da Visibilidade Trans, a agência transformou Starbucks em um local para eles fazerem essa alteração sem tanta burocracia.

Outro destaque foi o case ‘Save Salla’, da Africa para House of Lapland. Localizada na Lapônia, a Salla é uma cidades com a temperatura mais fria do mundo, e buscou chamar a atenção para o impacto que as mudanças climáticas vêm provocando em sua fauna e flora. A ideia, que venceu o GP de Entertainment for Sports, foi lançar a candidatura do município finlandês para os Jogos de Verão de 2032.

“Conseguimos trazer o assunto para uma discussão global e ‘Save Salla’ foi uma maneira criativa de você inverter as expectativas”, falou Sergio Gordilho, copresidente e CCO da Africa.

Ainda de acordo com ele, nem todas as marcas têm coragem de tomar uma posição. “Tem aquelas que fazem publicidade apenas por publicidade, tem outras que fazem publicidade com propósito”, garantiu.

Já para Luiza Baffa, managing director da AKQA São Paulo, cada vez mais as marcas vão precisar encontrar ganchos para se conectar com o consumidor. “Mas o que eu ainda sinto falta é de um nível de consistência das marcas, de pegar esse território para si. Talvez no ano que vem, a gente consiga ver essa consistência”, disse.

O Cannes Lions Live Show foi uma realização do Estadão, com organização da Criativista, e apoio da Abap, Ampro, APP e Fenapro.

Confira a matéria no Propmark.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

X vê declínio maciço de usuários e anunciantes sob propriedade de Musk
É amplamente conhecido que X, anteriormente conhecido como Twitter, sofreu um grande declínio nas taxas de anúncios e anunciantes na plataforma sob propriedade do bilionário Elon Musk, mas agora está ficando claro que o aplicativo de microblog também sofreu perdas em downloads de aplicativos e usuários. De acordo com dados coletados pela Similarweb e Sensor Tower e […]
Serpro terá R$ 1,4 mi para impulsionamentos no Facebook
O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) pretende investir R$ 1,4 milhão em impulsionamentos de conteúdo e anúncios pagos nas redes sociais Facebook e Instagram até agosto de 2021. No último ano, a verba do Serpro para impulsionamentos foi de R$ 30 mil.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail