Home / CENP esclarece aplicação do Adendo ao Anexo B

CENP esclarece aplicação do Adendo ao Anexo B

Fonte: CENP

3 de agosto de 2021

Resolução informa que, em razão de limitações, o Adendo não se aplica às licitações públicas

O Conselho Superior das Normas-Padrão aprovou, no dia 28/7, a Resolução 02/2021, esclarecendo que o Adendo ao Anexo B das Normas-Padrão da Atividade Publicitária não se aplica às licitações públicas reguladas pela lei 12.232/10 e demais contratações que impeçam a aplicação de sua integralidade.

A Resolução informa que o Adendo ao Anexo B, aprovado em 16/7/2019, “é aplicável apenas como norteador nas negociações em aberto, sendo necessário o pleno conhecimento dos serviços demandados, bem como volumes e espécie, considerando entre outros pontos, o investimento em mídia realizado em veículos aderentes ao ambiente de autorregulação e a fixação do desconto-padrão, que tem origem quando da execução do plano de mídia. No caso de concorrências, sejam elas públicas ou privadas, que não contenham essas premissas, a aplicabilidade do adendo torna-se inviável”, explica a Resolução. O Anexo B das Normas-Padrão trata do Sistema Progressivo de Serviços/Benefícios.

Embora destinado ao ambiente privado da autorregulação, a Resolução esclarece que, diante das preocupações sobre a incompreensão ou aplicação incorreta do Adendo por parte de anunciantes públicos, foi constituído um grupo de trabalho para estudar o tema, que contou com a participação de representantes da esfera pública. A conclusão dos trabalhos ressaltou a existência de uma série de inviabilidades da aplicação do Adendo pela Administração Pública, em razão de exigências legais e de ordem procedimental que seus agentes devem cumprir.

A Resolução considera “dever de quem participa de concorrências analisar com atenção os editais e quando identificar pontos contrários à legislação em vigor apontá-los de forma expressa à comissão de licitação, inclusive e especialmente as cláusulas que possam inibir a concorrência ou caracterizarem a oferta de preços vis ou que impliquem na desqualificação dos serviços a serem prestados” e recomenda “que todos os que participem de licitações públicas estejam comprometidos com a higidez do processo licitatório que deve atender aos princípios do artigo 37 da Constituição Federal”.

A Resolução comunica, por fim, a criação e instituição de comitê, a ser composto por anunciantes da administração pública direta e indireta, de agências e meios dedicado a estudar o tema.

Conheça a íntegra da nova Resolução em: https://cenp.com.br/PDF/Comunicados/2021/Resolucao-02-2021-Adendo-ao-Anexo-B-nao-se-aplica-as-licitacoes-publicas-reguladas-pela-lei-12.232.10-e-demais-contratacoes-que-impecam-a-aplicacao-de-sua-integralidade.pdf

Confira o comunicado do CENP

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Por que o conceito de fake news importa tanto?
A batalha judicial já começou. Ações do Tribunal Superior Eleitoral mostram que a campanha eleitoral de 2022 nos trouxe algumas doses do mais puro suco de fake news: desde a suposta cartilha que ensinava crianças a usarem drogas, até o suposto QR Code existente no título de eleitor que direcionaria votos para determinado candidato. Mas os casos […]
Para o varejo brasileiro, questão é a produtividade, diz executivo da Capgemini
A situação financeira é a principal preocupação de seis em dez consumidores globalmente, aponta a Capgemini. Segundo o estudo realizado pela empresa com quase 12 mil consumidores de diversos países, intitulado “What Matters to Today’s Consumer”, 73% dos participantes estão comprando menos por impulso, enquanto 65% estão dando preferência a produtos “private-label” (marcas proprietárias de […]

Receba a newsletter no seu e-mail