Home / Brasileiros confiam mais em publicidade na TV e em caixas eletrônicos

Brasileiros confiam mais em publicidade na TV e em caixas eletrônicos

Fonte: Meio e Mensagem

22 de novembro de 2023

A televisão e os caixas eletrônicos estão entre os canais de maior confiança dos brasileiros no consumo de publicidade. A informação é fruto de pesquisa realizada pela TecBan, empresa responsável pela gestão da plataforma de mídia digital out of home Mídia Banco24Horas, e pelo Instituto Datafolha.

O levantamento indicou que 39% das pessoas confiam mais em propagandas da TV, enquanto 31% veem mais credibilidade em anúncios veiculados em caixas eletrônicos. Ao todo, a pesquisa ouviu 1.519 pessoas de todas as classes sociais do Brasil. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais.

Celia Simões, gerente do Mídia Banco24Horas, afirma que as TVs sempre foram associadas pelo público à informação confiável. Além disso, há uma crença popular de que tudo é minuciosamente apurado para estar na TV. Segundo ela, isso faz com que as pessoas estejam mais abertas a receberem a intervenção por acreditarem no canal de veiculação e terem a sensação de que por ali não serão enganadas.

“A publicidade nas telinhas está relacionada à conexão emocional e aos sentimentos que podem ser gerados ao telespectador com os recursos audiovisuais. Sobretudo, a maior confiança do público em propagandas veiculadas nesse meio se liga ao fato de historicamente esse espaço ser entendido como nobre e como uma fonte confiável”, diz Celia.

Já no que diz respeito à publicidade em caixas eletrônicos, existem diversas possibilidades de veiculação. No Mídia Banco24Horas, por exemplo, é possível anunciar em exibição de mídia direto na tela de transação dos caixas eletrônicos do Banco24Horas. Há, ainda, a possibilidade de inserção durante as transações bancárias na própria tela do caixa eletrônico de forma customizada ou em apenas uma tela.

Na contramão, 16% confiam mais em anúncios  de Internet. Para Celia, o ambiente digital como espaço de mídia é um lugar que permite mais liberdade para veiculação de peças publicitárias. Ademais, faz menos exigências para isso. “Muitas pessoas entendem que qualquer um pode veicular qualquer coisa na internet, sem a necessidade de checagem do que está sendo exibido, o que deixaria a responsabilidade apenas na mão de quem anuncia”, aponta.

A pesquisa revela também que só 7% da amostra confia mais em propaganda de rádio, enquanto 6% apostam mais em propagandas que veem nas ruas.

Confira matéria no Meio e Mensagem

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

VML: fusão no Brasil deve ser rápida, mas há incertezas
Anunciada nesta terça-feira, 17 de outubro, a fusão global entre a VMLY&R e a Wunderman Thompson na nova VML será o maior movimento de consolidação de empresas no mercado de agências de publicidade nos últimos anos, envolvendo 30 mil funcionários em 64 países — 17 mil da Wunderman Thompson e 13 mil da VMLY&R. A mesma importância […]
Google discorda dos EUA sobre medida cautelar
O Google e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos não conseguiram chegar a um acordo sobre uma ordem de proteção para terceiros como a Microsoft, que fornece dados ao governo para seu processo contra o gigante de buscas e publicidade. O Google está pressionando para que advogados tenham acesso aos dados confidenciais.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail