Home / CEOs projetam otimismo moderado para 2024, indica pesquisa

CEOs projetam otimismo moderado para 2024, indica pesquisa

Fonte: Meio e Mensagem

19 de dezembro de 2023

Todo ano, neste período, iniciam-se as retrospectivas do ano que passou e as projeções do ano que está por vir, e, neste ano, não seria diferente. Encerrando a série de estudos Data-Leaders, o instituto Data-Makers e a agência CDN, desenvolveram a pesquisa “Líderes de Negócios e Perspectivas para 2024”, que revela que os CEOs estão com um otimismo moderado para o ano que vem.

Realizada com 216 líderes de negócios, entre CEOs e C-Levels de diferentes segmentos e tamanhos, a pesquisa mostra que 46% deles consideraram o ano de 2023 como bom ou excelente. Quando foram para a esfera individual, as respostas passaram para 74% na vida pessoal e 65% na carreira.

Já na esfera coletiva, 47% dos líderes consideraram o ano de 2023 apenas razoável na economia geral e para o Brasil. Além disso, para 32% dos entrevistados disseram que a palavra “preocupação” foi a que resumiu 2023.

Confiança dos líderes

Para desenvolver o estudo “Líderes de Negócios e Perspectivas para 2024”, o Data-Markers desenvolveu um índice de confiança desses líderes. Esse índice avalia as perspectivas dos executivos em relação à empresa, carreira, setor e economia, em geral, para 2024.

Neste sentido, o índice é composto de dez parâmetros ponderados de acordo com ao grau de certeza e proximidade do executivo com o atributo a ser analisado. Logo, projeções sobre a própria carreira e o que acontece na empresa ganham mais peso que as projeções para a economia do país, por exemplo.

“O índice para 2024 é de 66 e traduz muito bem o momento em que vivemos, de otimismo moderado”, explica o CEO da Data-Makers, Fabrício Fudissaku, em nota. Já, entre os itens mais bem avaliados da pesquisa estão: vendas da empresa (77), otimismo geral (72), contratação de produtos e serviços (67), crescimento da equipe (65) e recursos para crescimento (62).

Preocupações e sentimentos

Além disso, o estudo mostra que “resultado da empresa” é a principal preocupação dos líderes, com 65%, a frente de fatores como “vida pessoal” (39%), “saúde” (32%) e “saúde mental” (31%). Fatores “Macroeconômicos” é outra grande preocupação dos executivos, com 57%.

A pesquisa ainda mostra que os líderes enxergam em 2024 um ano de mudanças na vida profissional e pessoal. Neste sentido, 60% deles citaram “atuação como conselheiro” como uma oportunidade, além de considerarem “melhorar a saúde física” (51%) e “conquistar estabilidade financeira/ aumento de patrimônio” (43%). Já a procura por “realização no cargo atual” (32%) aparece na frente de “mudança de empresa” (21%), o que, segundo a pesquisa, revela a busca por estabilidade.

Em relação aos sentimentos associados à 2024, “esperança” ganha destaque com 42% das menções, seguida por “gratidão” (14%) e “felicidade” (13%).

Já entre as tendências mais mencionadas para 2024 estão inteligência artificial (58%), transformação digital (57%), ESG (35%), experiência do cliente (31%) e diversidade, equidade e inclusão (28%).

Desafios e oportunidades

O estudo também revela quais serão os maiores desafios para os executivos em 2024. Em primeiro lugar aparece “gastos públicos elevados”, com 68% das menções, seguido por “política interna” (66%), “inflação” (44%), “queda de demanda interna” (33%) e “escassez de crédito” (25%).

Para os indicadores econômicos, os líderes ainda indicaram a expectativa de aumento nos juros, inflação, desemprego, dólar e serviços, assim como queda no PIB, indústria e comércio, e equilíbrio no mercado interno.

Os C-Levels apontaram também para o aumento dos investimentos em RH (36%), marketing (40%), vendas (33%), tecnologia (42%), dados (42%), infraestrutura e operações (38%).

Dentro de RH, os maiores investimentos, segundo a pesquisa, devem ser em treinamento de talentos (56%), contratações estratégicas (49%) e ferramentas e sistemas de gestão (33%). Já em marketing, devem ser em redes sociais/ marketing digital (67%) e campanhas de comunicação (50%). Vale ressaltar que, nesta área, ações de branding (47%) e CRM (46%) estão no radar de quase metade das empresas.

Além disso, o estudo indica que investir em “treinamento e qualificação” aparece como principal estratégia de vendas adotada pelos líderes em 2024, com 58% das menções, seguida por “sistemas de gestão” (39%) e “expansão da equipe de vendas” (38%). O levantamento destaca ainda que o uso de “ferramentas de IA” (24%) aparece com uma participação ainda tímida, mas com grande potencial de crescimento no futuro.

Inclusive, inteligência artificial será o principal destino de investimentos em tecnologia (60%) para 2024, segundo a pesquisa. Cibersegurança vem logo em seguida, com 51%. O tema talentos também foi citado, visto que 26% das empresas afirmaram que investirão em contratação de talentos e 18% na expansão do time.

Já em dados, os maiores movimentos previstos estão em ferramentas e aplicações de IA (47%), estrutura de dados (47%), big data (33%) e adequação à LGPD.

Metodologia

A base de entrevistados da pesquisa online quantitativa de autopreenchimento contou com 216 líderes de negócios, entre CEOs e C-Levels de diferentes segmentos e tamanhos. A seleção de participantes foi feita pelas empresas parceiras Data-Makers e CDN, já a análise de dados foi trabalhada pela Data-Makers por meio de técnicas estatísticas, como análise descritiva, correlacional e inferencial, para identificar padrões, tendências e associações. Confira o levantamento na íntegra aqui.

Confira matéria no Meio e Mensagem

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

O tempero brasileiro para uma educação finlandesa
Avaliar a confiabilidade de uma informação antes de repassá-la, identificar a intenção das mensagens a que estamos expostos, compreender o papel do jornalismo na sociedade e, principalmente, reconhecer a responsabilidade de cada um de nós ao produzir e compartilhar conteúdos. Esses são alguns dos temas incluídos no currículo de escolas preocupadas com a avalanche de fake news que vem corroendo o direito da população a […]
Decreto cria estrutura e cargos da Autoridade Nacional de Proteção de Dados
O presidente Jair Bolsonaro editou decreto que aprova a estrutura regimental e o quadro de cargos e funções de confiança da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão que será responsável pela aplicação da LGPD. O ato foi publicado no Diário Oficial da União um dia depois de o Senado votar a MP 959/2020.Leia […]

Receba a newsletter no seu e-mail