Home / Avaliador de desinformação gratuito para anunciantes e agências

Avaliador de desinformação gratuito para anunciantes e agências

Fonte: Media Post

30 de junho de 2022

Seguindo as novas diretrizes do setor destinadas a reduzir a publicidade que apoia a desinformação e outros conteúdos desagradáveis, o serviço de classificação de veracidade NewsGuard anuncia que está oferecendo avaliação gratuita de conformidade para marcas, agências, DSPs (plataformas de demanda), SSPs (supply-side plataformas) e outros provedores de tecnologia de anúncios que desejam garantir que suas práticas atuais atendam aos novos padrões do setor.

A oferta segue o anúncio da semana passada pela Aliança Global para Mídia Responsável (GARM) da Federação Mundial de Anunciantes para novas diretrizes de segurança de marca projetadas para evitar anúncios colocados adjacentes a conteúdo considerado desinformação e/ou contribuindo para automutilação entre alguns usuários, bem como como uma atualização da Comissão Européia para seu Código de Práticas sobre Desinformação .

A NewsGuard oferecerá as avaliações de conformidade – além de fornecer recomendações para organizações que não estejam em conformidade com as novas diretrizes – por meio de seu serviço de brand safety gratuito até 1º de setembro.

A avaliação inclui uma análise da lista de editores – incluindo sites, aplicativos de notícias, canais do YouTube, etc. – cada organização atualmente anuncia e fornece um resumo de quão bem ou mal eles atendem às novas diretrizes do GARM e da Comissão Europeia.

A atualização do GARM, que foi divulgada durante o festival Media Lions da semana passada em Cannes, comemorando seu terceiro aniversário, fornece uma estrutura e estabelece um “piso” para a segurança da marca, recomendando que os anunciantes evitem que seu anúncio apareça ao lado de desinformação e conteúdo de automutilação. Ele também forneceu as primeiras diretrizes do setor para “incorporar a segurança da marca” no crescente metaverso.

O NewsGuard é um serviço com curadoria humana que utiliza jornalistas profissionais para avaliar a veracidade do conteúdo de notícias e informações, e anunciantes e agências que utilizam seu serviço BrandGuard geralmente o usam para criar listas de “exclusão” e “inclusão” de sites e aplicativos considerados apropriados para suas marcas para anunciar.

Em pesquisa realizada no ano passado com a Comscore, a NewsGuard estimou que até US$ 2,6 bilhões em compras de mídia são gastos em conteúdo considerado desinformação a cada ano, devido em grande parte ao mercado programático.“Essas medidas impedirão que os vendedores de fraudes arrecadem bilhões – ao mesmo tempo em que garantem que as principais marcas não tenham seus anúncios inadvertidamente em sites que divulgam falsidades sobre COVID-19 , eleições e muito mais”, disse o co-CEO da NewsGuard, Gordon Crovitz, em uma declaração anunciando as avaliações gratuitas de conformidade.

Confira matéria no Media Post

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Revisão do marco legal da TV a cabo
O Ministério das Comunicações criou um grupo de trabalho para elaborar estudos e uma proposta de atualização do marco jurídico da TV por assinatura, referente aos mercados de produção, programação, empacotamento e distribuição de conteúdo audiovisual com base nas recomendações feitas pela OCDE. Leia Mais
A lei de serviços digitais da união europeia e a lei de fake news
Artigo de Vanessa Cerqueira Reis de Carvalho, sócia do escritório Medina Osório Advogados, explica a lei de serviços digitais em discussão na UE e as legislações sobre o mesmo tema que estão sendo debatidas no Brasil.

Receba a newsletter no seu e-mail