Home / Anbima propõe regras para publicidade de investimentos com influenciadores de finanças

Anbima propõe regras para publicidade de investimentos com influenciadores de finanças

Fonte: Valor Investe

26 de maio de 2023

Para levar luz à zona cinzenta em que estão as relações comerciais entre instituições financeiras e influenciadores digitais na publicidade de produtos de investimento, a Associação Brasileira das Entidades do Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) abriu audiência pública para debater regras claras para a contratação dos chamados “finfluencers”.

De acordo com a entidade, a minuta com a regulação para instituições contratarem influenciadores digitais de finanças para publicidade de produtos de investimento, que ficará disponível para sugestões até 3 de julho, é uma atualização do Código de Distribuição de Investimentos. O documento final deve ser publicado no segundo semestre deste ano.

“Não é nosso escopo autorregular a atividade do influenciador. As normas são para os distribuidores”, explica Luiz Henrique Carvalho, gerente de Representação de Distribuição de Produtos de Investimento da Anbima. “O nosso objetivo é dar transparência à relação comercial entre esses agentes, que muitas vezes fica em uma zona cinzenta, na qual o investidor não reconhece como publicidade determinado conteúdo publicado pelo influenciador que ele segue.”

De acordo com a proposta em discussão, toda publicidade deverá ser informada, por escrito ou verbalmente, pelo influenciador e que a instituição é responsável pelo conteúdo divulgado. A empresa também deve garantir que o influenciador de finanças contratado tenha as certificações ou autorizações necessárias, caso esteja fazendo a recomendação ou análise de algum produto.

A minuta colocada em audiência pública prevê ainda que as relações comerciais entre instituições e finfluencers sejam regidas por um contrato. O documento deve informar os meios de divulgação, a descrição geral dos produtos divulgados e se envolve uma atividade regulada, como análise ou recomendação, além da remuneração e a vigência.

Confira matéria no Valor Investe

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Há um novo movimento contra as big techs nos EUA: banir o marketing de vigilância
“Ban Surveillance Advertising”, coalizão formada por 35 entidades, entre elas, Avaaz, Center for Humane Technology, The Social Dilemma e Liberation in a Generation, divulgou carta contra o marketing de vigilância. Leia Mais
WPP tem queda de 1,8% nas receitas no terceiro trimestre de 2023
A WPP apresentou ao mercado os dados referentes ao terceiro trimestre de 2023. No documento, o grupo reduziu a sua perspectiva de crescimento das receitas após reportar vendas fracas, culpando a redução dos gastos da indústria tecnológica e a fraca economia da China. Segundo o levantamento, a receita geral do terceiro trimestre, excluindo custos de […]

Receba a newsletter no seu e-mail