Home / Young Lions chega à 23ª edição e unifica as categorias criativas

Young Lions chega à 23ª edição e unifica as categorias criativas

Fonte: PropMark

21 de fevereiro de 2017

Alê Oliveira

Publio Dias: “Gosto de falar que o Young não é um prêmio, por isso evitamos fazer referência aos ‘vencedores’”

Na ficha técnica de oito em cada dez Leões conquistados pelo Brasil no Cannes Lions consta o nome de um Young Lion, título de quem teve a oportunidade de estrear no festival participando de um seleto grupo de jovens profissionais que não foi à França a passeio.

A história mostra que praticamente 100% dos Youngs encontram seu lugar ao sol na carreira. Alguns exemplos são Luiz Sanches (AlmapBBDO), Ricardo Chester (AlmapBBDO) e Fernando Campos (Santa Clara).

O Brasil lidera o ranking do Young Lions com 16 prêmios – depois vêm a Itália, com 11, e o Canadá, com dez –, segundo conta Emmanuel Publio Dias, que coordena a competição no país. Ele começou a organizar o evento em 1995, em parceria com a Editora Referência e O Estado de S.Paulo, que representa o festival no Brasil.

Publio Dias conta que se impressionou com a delegação de jovens holandeses, ingleses e franceses inscritos no festival de 1994 na categoria Young Creatives. No ano seguinte, conseguiu o apoio da TV Globo, da Editora Abril e da DM9DDB para levar 11 Youngs e, desde 2000, não há um ano sem que um jovem brasileiro esteja presente em algum dos júris de Cannes.

“Gosto de falar que o Young não é um prêmio. Tanto que evitamos qualquer referência aos ‘vencedores’ ou ‘ganhadores’, da passagem e da inscrição no festival. Na verdade o profissional se torna um Young, distinção que vai levar e ser reconhecida em toda a sua carreira”, comenta.

Hoje já são 408 Youngs no mercado. Na edição deste ano, cujas inscrições estão abertas até o próximo dia 17 de março, houve algumas mudanças importantes: as categorias criativas (Cyber, Film, Print e Design) foram reunidas numa só, intitulada Criação.

Os candidatos dessa categoria poderão colocar os trabalhos que desejarem no portfólio que será analisado inicialmente por um júri de ex-Youngs, à procura das 50 melhores pastas.

Depois da votação online dessa shortlist, um novo júri apontará a delegação e aí sim escolherá que Young tem mais afinidade com que categoria criativa.

As demais categorias (Atendimento, Mídia, Anunciante, Planejamento e PR) permanecem, seguindo as orientações do próprio festival. No ano passado, Cannes decidiu aumentar a idade máxima dos Youngs, de 28 anos para 30.

O Brasil é frequentemente citado como exemplo de excelência na organização do Young Lions, segundo Emmanuel, que avisa que no segundo semestre, logo após o Cannes Lions, criará a comunidade Young Brazil, um programa permanente de excelência, network e internacionalização para alavancar a carreira de jovens profissionais.

Este ano, a divulgação do Young Lions conta com campanha criada pela Talent Marcel, cuja equipe criativa conta com um Young: Marcelo Almeida, mais conhecido como Droopy.

“O Young Lions sempre foi um marco nas nossas vidas, ainda mais englobando diversas áreas e não só criação. E está num momento e tanto: será transformado numa plataforma contínua. Não é à toa que já temos pronta a próxima fase para ir ao ar logo depois dessa campanha de inscrições 2017”, disse Droopy, diretor de criação da Talent Marcel. A delegação brasileira de Young Lions será definida até abril.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

CENP-Meios divulga seu primeiro ranking de agências
O CENP divulgou o primeiro ranking de agências de publicidade elaborado a partir dos dados do Sistema CENP-Meios. Os dados foram coletados ao longo de 2020 em um painel de 216 agências certificadas.Leia Mais
Onde os brasileiros gostam de ver publicidade?
Estudo Media Reactions, da Kantar, mostra que eventos patrocinados, mídia out-of-home e revistas são os meios de comunicação tradicionais preferidos pelos consumidores brasileiros para receber mensagens publicitárias.

Receba a newsletter no seu e-mail