Home / Teste da Amazon mostra que Big Techs ‘brincam’ com dados

Teste da Amazon mostra que Big Techs ‘brincam’ com dados

Fonte: Yahoo

8 de novembro de 2021

Uma parceria experimental entre a Amazon e a Chicago Transit Authority está dando aos residentes um gosto da conveniência habilitada pela tecnologia que poderia definir a vida pós-pandemia – bem como uma olhada em alguns dos problemas que vêm com a expansão da Big Tech em espaços públicos.

A Amazon começou a instalar armários em cinco paradas de trem em Chicago em setembro de 2020, proporcionando aos passageiros uma maneira fácil de retirar suas compras online ou deixar itens para devolução no caminho para o trabalho. O contrato da Amazon com a cidade dá a ela acesso sem aluguel ao espaço dentro das estações de trem durante um período de teste, com a Amazon pagando apenas pelo custo de operação dos armários eletrônicos.

Mas quando se trata do valor desses custos, assim como de outros detalhes importantes sobre os armários, como segurança, a Amazon tem lutado para manter a informação fora do alcance do público.

Em agosto, a Amazon escreveu ao CTA com um “pedido urgente”, instruindo a agência a remover uma referência em seu site à taxa operacional mensal de US$ 25 (R$ 139) por armário que a Amazon paga ao CTA, uma cobrança também observada nas atas de reuniões públicas da cidade de Chicago.

“Não permitimos que as informações financeiras sejam compartilhadas conforme consta no contrato”, escreveu a gerente da Amazon, Courtney Augustine, no e-mail de agosto para a agência, que concordou em remover a linha sobre a taxa do site do CTA.

Confira matéria completa no Yahoo

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Regulamentação das plataformas sim, da internet não
O avanço do poder das empresas de tecnologia e a inadequação da atual governança e regulamentação digital tem preocupado os reguladores. Desde a moderação de conteúdo e suas implicações para a liberdade de expressão e a manipulação da opinião, individual e pública, às questões tributárias e de infrações à ordem econômica e às políticas concorrenciais.Leia […]
Qual é o limite do controle do conteúdo pelas plataformas?
Diante do questionamento do MPF ao Twitter sobre o porquê da empresa não ter, no Brasil, uma ferramenta de denúncia de fake news, especialistas em mídias digitais comentam como as plataformas poderiam coibir os conteúdos falsos e preservar o espaço para debates de ideias.

Receba a newsletter no seu e-mail