Home / Pauta social avança na publicidade

Pauta social avança na publicidade

Fonte: Valor Econômico

18 de novembro de 2021

Agências de publicidade, anunciantes e veículos de comunicação estão mais abertos a canais sociais, mas há muito a ser feito. O mercado publicitário tem trabalhado para entregar campanhas com narrativas mais alinhadas à realidade do consumidor, aumentar a presença de profissionais negros em agências e filmes, e ajudar anunciantes a se posicionarem sobre temas ambientais, sociais e governança (ESG).

“Quem não se posiciona nessa agenda, torna-se irrelevante”, diz o presidente da Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap), Mario D’Andrea, que participou ontem do Live do Valor , ao lado de Joana Mendes, presidente do Clube de Criação; e Manzar Feres, diretora de negócios em publicidade da Globo.

D’Andrea diz que a parcela de negros nas campanhas publicitárias no país passou de 4% em 2015 a 10% em 2017 e chegou a 22%, no ano passado. “Ainda é muito pouco para um país em que 56% da população se declarou negros”.

O presidente da Abap afirma que a baixa representatividade tem ligação com a origem da produção das peças públicas. “A inclusão precisa começar nas equipes de criação e mídia das agências”, diz o executivo, lembrando que agências como Leo Burnett, Africa, Olgivy e Artplan, entre outras, avanços avanços no tema.

Na opinião de Mendes, está se discutindo mais diversidade no mercado publicitário, mas é preciso fazer “muito mais e melhor”. “As pessoas negras não se sentem representadas nas campanhas”, diz a executiva, primeira mulher negra e LGBTQI + a presidir, em 46 anos, o Clube da Criação – uma entidade sem fins lucrativos fundada em 1975 por publicitários para valorizar a propaganda brasileira. Mendes criou ainda o YGB, primeiro banco de imagens brasileiro feito por mulheres negras.

Feres, a primeira mulher a comandar os negócios de publicidade da Globo, disse que os consumidores estão mais atentos ao que as marcas realizam na arena ESG. “Sessenta e dois por cento dos brasileiros já boicotaram marcas ou empresas ligadas a crimes ambientais, que não respeitam os direitos trabalhistas e os animais”, diz a executiva, baseada em pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). “Campanhas que não refletem o que a sociedade acha importante não causam impacto.”

Prova disso é a retomada, em 2021, da categoria Valor Social, na 43ª edição do prêmio Profissionais do Ano, que destaca trabalhos publicitários veiculados na Globo. A ideia é apontar campanhas que divulguem uma causa, ideia ou proposta que, de alguma forma, contribua para a sociedade, explica Feres. Os vencedores do Profissionais do Ano serão revelados nesta sexta-feira (19), às 18h, em informação transmitida pela Globoplay.

A Live do Valor realizada ontem apresentada com uma parceria do Valor Social, área de responsabilidade social da Globo.

Confira matéria completa no Valor Econômico

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

WPP amplia digitalização com empresa ‘pura’ de tecnologia
O Grupo WPP fechou a compra do controle da DTI Digital, sediada em Belo Horizonte, como o que a multinacional descreveu como a maior aquisição que já realizou no Brasil. Leia Mais
Abratel defende que plataformas digitais tenham as mesmas obrigações que rádio e televisão
Em debate sobre o PL das Fake News no dia 12 de agosto, na Câmara dos Deputados, o presidente da Abratel, Márcio Novaes, defendeu que as plataformas sigam as mesmas regras e obrigações dos veículos de comunicação eletrônica, como o rádio e a televisão.

Receba a newsletter no seu e-mail