Home / Mercado de mídia e entretenimento no Brasil deve crescer 4,7% até 2025, segundo estudo da PwC

Mercado de mídia e entretenimento no Brasil deve crescer 4,7% até 2025, segundo estudo da PwC

Fonte: Tela Viva

26 de agosto de 2021

A mudança nos hábitos do consumidor durante a pandemia trouxe reflexos diretos para a indústria mundial de entretenimento e mídia, que, após queda de 3,8% em 2020, deve começar a sua recuperação neste ano, inclusive no Brasil. De acordo com a 22ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2021-2025 da PwC, o mercado de E&M no país deve crescer 4,7% até 2025 e 5% ao ano. Em valores, o setor vai chegar a US$38 bilhões. 

O levantamento analisou 14 segmentos do setor em 53 países, entre eles Consumo de Dados, Publicidade Digital e na TV, Vídeo OTT, Cinema, Acesso à Internet e Games. Em 2020, o Brasil cresceu menos que o mercado global pela primeira vez, e a previsão é de que só supere a média mundial novamente a partir de 2023. 

A pandemia direcionou os gastos do consumidor brasileiro para o entretenimento dentro de casa: vídeos OTT e games foram os mais beneficiados e seguirão crescendo. Os gastos com internet devem crescer 4,4%, o consumo 4,3% e, com publicidade, 6%, retomando o ritmo pré-pandemia. 

Setores mais impactados pela pandemia, como shows e feiras de negócios, terão uma recuperação rápida de 20% ao ano, impulsionados pela vontade dos consumidores de fazerem atividades externas, após mais de um ano em casa, e devem atingir o mesmo nível de 2019. Já o cinema sofreu uma queda de 86% em receita, voltando a patamares de 2016, e só deve atingir os mesmos patamares de 2019 em 2024. 

“O setor de mídia e entretenimento passa por desafios e incertezas em todo o mundo desde o início da pandemia. Por outro lado, também acelerou processos que já estavam em andamento, como digitalização e consumo de conteúdo online, e que vão colaborar para que essa recuperação nos próximos anos seja rápida”, afirma Ricardo Queiroz, sócio da PwC Brasil. 

Maior acesso à internet e mais consumo digital 

Entre as tendências observadas no comportamento de compra dos brasileiros está o aumento de aquisição de conteúdo de leitura em plataformas digitais. Revistas devem crescer de 8% para 13%; Livros de 10% para 11%; e Jornais de 7% para 11%. 

Os gastos com publicidade devem atingir 6% de crescimento ao ano até 2025, voltando a níveis anteriores à pandemia, que causou um impacto negativo de US$1 bilhão no mercado em 2020. O retorno ao volume anterior deve acontecer somente em 2022. A publicidade na TV online se desenvolverá rapidamente durante o período, com o impacto crescente dos serviços de streaming nas emissoras, mas ainda representará apenas 5% da receita total do mercado em 2025. 

O consumo de música digital cresceu muito com a pandemia e com a ausência dos shows ao vivo. Em 2025, o streaming vai representar 72% dos gastos, enquanto a bilheteria será 17%, o que mostra sinal de recuperação, com retorno do público aos shows ao longo dos anos. Já o consumo de conteúdo para assistir seguirá com a força dos vídeos OTT (13%) e do cinema (40%). A TV por assinatura e vídeos por assinatura de TV vão cair 1% e 3%, respectivamente, assim como os vídeos domésticos (-11%). 

Outro dado importante é o crescimento do acesso à internet pelos brasileiros. Em 2025, 41 milhões de casas devem ter internet fixa e 163 milhões de pessoas devem ser assinantes de internet móvel. Mas ainda é preciso muito investimento em infraestrutura de rede para garantir mais acesso, com mais velocidade, como o suporte ao 5G. 

Confira a matéria no Tela Viva.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Cenp divulga ranking das maiores agências de 2020 por Estado
O CENP-Meios apresentou um novo ranking que traz a posição das agências separadas por Estado com base no volume de compra de mídia do ano de 2020.
Projeto quer modernizar bancas de jornais em São Paulo
Bancas de jornais autofinanciáveis, com telas digitais, wi-fi, espaço para anúncios Out Of Home (OOH) e possibilidade de contabilizar o número de visitantes com estatísticas a partir de interface com celulares. A proposta foi apresentada na Comissão de Logística da Aner pelo presidente do Sindicato dos Vendedores de Jornais e Revistas de São Paulo (Sindjorsp), José Antônio Mantovani. O […]

Receba a newsletter no seu e-mail