Home / Lei das fake news deve ser votada na próxima semana

Lei das fake news deve ser votada na próxima semana

Fonte: Poder360

15 de fevereiro de 2022

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta 3ª feira (15.fev.2022) que o projeto de lei que estabelece regras para a liberdade e transparência no uso da internet deverá ser votado na próxima semana.

O relator do projeto 2.630 de 2020, deputado Orlando Silva (PC do B-SP) apresentou seu parecer a líderes de partidos da base do governo em almoço nesta 3ª feira na residência oficial da Câmara.

De acordo com Lira, Silva agora apresentará o texto a todas as bancadas da Casa. “Ele vai extrair dali um sentimento de votação ou alguma adequação de texto. Há temas polêmicos, mas vamos enfrentar a matéria, não tenho dúvida disso”, disse.

De acordo com o presidente da Câmara, Silva também está levando as mudanças que fez ao texto já aprovado pelo Senado para os próprios senadores para que, quando o projeto voltar a outra Casa, tenha andamento mais célere.

O projeto, que estabelece regras para o uso de redes sociais por autoridades públicas e determina penalidades para quem disseminar informações falsas, deverá ser votado na próxima semana.

Um grupo de trabalho aprovou a versão do texto de Silva no início de dezembro. A proposta proíbe que o presidente da República, deputados, governadores e outros ocupantes de cargos públicos bloqueiem usuários de visualizar suas postagens em redes sociais.

Além disso, sujeita os dados referentes a esses perfis à Lei de Acesso à Informação. O projeto determina que os provedores de redes sociais, serviços de busca e de mensagens criem um órgão de autorregulação.

Lira afirmou ainda que o projeto não pretende “fazer uma disputa nacional pelo Telegram”. “Nós não vamos fazer disso uma pauta nacional de um embate, como já existiram vários. […]. Não vamos fazer uma lei para determinado caso, determinada pessoa ou determinado objetivo”, disse.

De acordo com ele, Silva apresentou no almoço exemplos sobre como o Telegram acatou decisões judiciais na Alemanha. No último domingo (13.fev.2022), o aplicativo de mensagens bloqueou no país europeu 64 canais considerados desinformativos ou que agregavam discursos de “ódio e incitação”.

A informação é do jornal Süddeutsche Zeitung. A medida foi tomada depois de representantes do aplicativo se reunirem com a ministra do Interior da Alemanha, Nancy Faeser. Ela classificou a conversa como “produtiva”.

Confira matéria no Poder360

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Em vídeo, STF manda mensagem definitiva ao país e aos golpistas
O STF lança nesta terça, 17, a campanha Democracia Inabalada (#DemocraciaInabalada), em resposta aos atos terroristas de 8 de janeiro. Na tarde daquele domingo, o plenário da Corte foi completamente destruído, vidraças foram quebradas, estátuas derrubadas, poltronas arrancadas, móveis despedaçados e obras de arte vandalizadas. Janelas foram pichadas e salas de áreas administrativas, que funcionavam […]
Investimento em dados pode fidelizar clientes
“Não há melhor maneira de oferecer uma experiência superior ao cliente do que por meio da personalização. As empresas devem investir na captação destes dados”, afirma Orchid Richardson, vice-presidente do Data Center of Excellence do IAB nos EUA.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail