Home / Juliana Albuquerque é a nova VP executiva do Conar

Juliana Albuquerque é a nova VP executiva do Conar

Fonte: CONAR

27 de abril de 2023

Juliana Albuquerque assume a Vice-Presidência Executiva do Conar, em substituição a Edney Narchi, que acaba de se aposentar, depois de 38 anos de serviços à autorregulamentação publicitária.

Advogada formada pela PUC/SP, Juliana foi o braço direito de Edney pelos últimos 22 anos. Entre as suas responsabilidades, estava a tramitação das representações no Conselho de Ética e todas as ações de modernização do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, tornadas necessárias pelo crescimento da mídia digital.

Juliana foi uma das envolvidas, por exemplo, na concepção, organização e divulgação do Guia de Publicidade por Influenciadores Digitais, lançado no final de 2020, a partir de extensa interlocução com os principais players da mídia digital, ao mesmo tempo em que estabelecia laços com entidades de autorregulamentação publicitária em todo o mundo, relatando a experiência brasileira no tema. “O lançamento do Guia foi um ponto de inflexão tanto para a autorregulamentação publicitária quanto para a mídia digital”, diz Sergio Pompilio, presidente do Conar. “Poucas pessoas no Brasil dominam tanto a questão quanto Juliana. Tê-la como vice-presidente executiva é uma garantia de que a autorregulamentação seguirá propondo caminhos inovadores para este mar de novidades, ao mesmo tempo em que será uma digna sucessora do Edney, a quem o Conar, a autorregulamentação e a publicidade brasileira tanto devem”.

“Assumir a função que foi por tanto tempo do dr Edney é uma satisfação enorme”, diz Juliana. “As lições que ele deixa para o Conar e para mim pessoalmente são valiosas: precisão e rapidez no trato das denúncias e sentido de entendimento e cordialidade nas relações com os consumidores, associados, autoridades e mercado publicitário em geral, só para citar algumas. Essas e outras lições são essenciais num momento de intensa renovação da publicidade, implicando em múltiplos desafios para a autorregulamentação”.

Juliana é Mestre em Direitos Difusos e Coletivos e Pós-Graduada em Direito Constitucional pela PUC/SP, desenvolvendo pesquisas nas áreas da Regulamentação da Publicidade On-Line, Direito das Comunicações e Autorregulamentação.

Ao assumir a Vice-Presidência Executiva, Juliana passa a ser a líder do corpo técnico e administrativo do Conar, assessorando Sergio Pompilio na representação externa, inclusive junto a autoridades dos Três Poderes e entidades internacionais das quais o Conar participa. “Ela vai ter muito trabalho”, diz Sergio. “Estamos num período de muitas inovações para o Conar e para a publicidade como um todo e Juliana dará conta de tudo isso e muito mais”.

Edney Narchi, formado em Direito pela Universidade de São Paulo, deixa o Conar após 38 anos de bons serviços à autorregulamentação publicitária brasileira. “A contribuição dele é imensa”, diz Sergio Pompilio, presidente do Conar. “Sua competência e dedicação para com a entidade deixam uma marca que extrapola a publicidade, dando projeção à autorregulamentação, este instrumento tão valioso para a sociedade brasileira e que ajudou a nossa atividade a se destacar em todo o mundo”.

Formado em 1972, Edney ocupou, antes do Conar, a chefia do Gabinete da Secretaria de Negócios Jurídicos da Prefeitura de São Paulo e a diretoria da Assessoria de Relações Governamentais da Federação do Comércio do Estado de São Paulo.

Em seus anos como principal executivo do Conar, Edney respondeu a seis presidentes, começando por Petrônio Corrêa, passou por três sedes da entidade, incontáveis reformas do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, centenas de participações em interlocuções com autoridades e mercado publicitário, no Brasil e no exterior. “Sou testemunha de como a participação de Edney foi valiosa em tantas reuniões sobre temas delicados”, diz Sergio. “A sua capacidade de negociação e compromisso para com o Conar e a publicidade se tornaram merecidamente reconhecidas por todos. Entendemos a sua decisão de buscar a aposentadoria, mas vamos sentir a falta dele, com toda a certeza, mesmo tendo deixado uma digna sucessora, a dra Juliana Albuquerque, que trabalhou com ele por mais de vinte anos”.

“Vou sentir muitas saudades do Conar”, diz Edney. “Como não sentiria, depois de ter participado das reuniões do Conselho de Ética em que algo acima de dez mil representações foram julgadas e onde fiz incontáveis amigos? Descrever tudo o que vi e de que participei nestes anos todos no Conar só caberia num livro – e seria um livro bem extenso. Apenas os agradecimentos demandariam muitas páginas. Começaria por Petrônio, Luiz Fernando Furquim, Ivan Pinto, Gilberto Leifert (meu antecessor no cargo e depois meu presidente por vinte anos), João Luiz Faria Netto (que foi meu colega de diretoria durante praticamente toda minha passagem pelo Conar) e Sergio Pompilio, os presidentes a quem servi”.

“Depois”, prossegue Edney, “precisaria mencionar as centenas de voluntários que mantiveram viva a chama da autorregulamentação, no Conselho Superior, diretoria e Conselho de Ética, bem como o corpo de funcionários do Conar, a quem homenageio lembrando a memória de Álvaro Cardoso de Moura Jr., falecido em 2005, meu grande mestre na autorregulamentação e na vida. Fico feliz em saber que minha sucessora no cargo será a Juliana, a quem estimo e admiro pessoal e profissionalmente. Tenho certeza de que o Conar estará em ótimas mãos”.

Confira matéria no Conar

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Kantar: setores de eventos e viagens impulsionaram publicidade em 2022
Os segmentos de eventos culturais, viagens e hotéis foram os que mais incrementaram os investimentos em publicidade em 2022, de acordo com a mais recente edição do relatório Inside Advertising, divulgado nesta semana pela Kantar Ibope Monitor, divisor da Kantar. Na avaliação do monitoramento, que chega a sua terceira edição neste ano, o setor de […]
Agências devem parar de dar exclusividade de categoria aos clientes
A exclusividade da categoria foi desenvolvida décadas atrás e adotada na era Mad Men , quando os clientes viam as agências como parceiras de negócios indispensáveis. Embora o negócio tenha evoluído para refletir as mudanças na dinâmica do mercado, os clientes continuam apegados à noção de exclusividade. Hoje, as relações cliente-agência são caracterizadas por contratos mais curtos e […]

Receba a newsletter no seu e-mail