Home / Itaú, Bradesco e Banco do Brasil são as marcas mais valiosas

Itaú, Bradesco e Banco do Brasil são as marcas mais valiosas

Fonte: Meio&Mensagem

10 de agosto de 2021

Valor total das 70 marcas mais valiosas do Brasil do Ranking Brand Dx 2021 mantém estabilidade, com R$ 368,4 bilhões. Além dos bancos, varejo e automóveis se destacam

Mesmo com os impactos da pandemia nos resultados das empresas, na média, o valor das marcas do Ranking Brand Dx das Marcas mais Valiosas em 2021 no Brasil não caiu, mostrando sua resiliência contra crises. A soma do valor das 70 marcas mais valiosas neste ano é de R$ 368,4 bilhões, o que equivale a 12% do valor total de suas empresas na Bolsa de Valores. No entanto, o desempenho não foi universal: 40 marcas registraram crescimento, enquanto 30 perderam valor. Em 2020, as 70 marcas do ranking somaram R$ 368,8 bilhões.

Mesmo com queda no valor de suas marcas em comparação com ano anterior, os bancos continuam liderando a lista e respondendo por 28% do total do valor do ranking, seguidos pelo setor de veículos, com 18%, e varejo, com 10%. O Itaú segue na liderança com valor de marca de R$ 36,5 bilhões, à frente de Bradesco (R$ 26,9 bilhões) e Banco do Brasil (R$ 15,4 bilhões). Magazine Luiza, em quarto lugar, com R$ 14 bilhões, e Caixa, em quinto, com R$ 13,9 bilhões, fizeram sua estreia no Top 10. Veja ranking completo abaixo.

Em termos de crescimento, os destaques foram Magalu, com alta de 35%, Droga Raia (36%) e Caixa (42%). Além disso, Mercado Livre e Uber, marcas ligadas ao universo da tecnologia, estrearam no ranking, respectivamente, em 21º e 35º lugares. Setores menos afetados negativamente pela crise gerada pela Covid-19, alimentos, telecom, internet, e-commerce, tecnologia, hospital e commodities tiveram os melhores desempenhos, e foram impulsionados pela manutenção ou ampliação do investimento no relacionamento com o público.

Por outro lado, os piores desempenhos foram nos setores de transporte aéreo de passageiro, turismo, energia elétrica e bancos — mesmo tendo suas marcas entre as mais valiosas do País, tiveram seu crescimento afetado negativamente pela crise. Azul Linhas Aéreas, com queda de 35%; O Boticário, com redução de 34%; Cielo, com recuo de 33%; e Gol, menos 32%, foram as mais impactada.

Segundo Gilson Nunes, sócio e CEO da Brand Dx, um dos fatores de crescimento foi a manutenção ou ampliação do investimento no relacionamento da marca com o seu consumidor e a sociedade. “São aquelas marcas que se adaptaram mais rapidamente a crise, como o varejo digital e alimentos. As marcas que adotaram este tipo de reação tiveram um aumento de vendas e margem, com maior crescimento da base de consumidores”, explica.

Confira a matéria no Meio&Mensagem.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Crescimento recorde em 2021
Em 2021, o investimento global em publicidade registrou um aumento de 23,8%, de acordo com o Warc. Esse foi o maior crescimento registrado nas quatro décadas em que a empresa realiza o monitoramento do mercado.
Surto de coronavírus gera declínio recorde nos orçamentos de marketing do Reino Unido (em inglês)
Dados do IPA Bellwether Report do 2º trimestre revelam que os orçamentos de marketing do Reino Unido foram reduzidos a seus níveis mais baixos desde o início da elaboração do relatório. O documento, no entanto, antecipa uma recuperação nas condições macroeconômicas em 2021. Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail