Home / Internet avança, mas TV aberta ainda lidera os investimentos em publicidade

Internet avança, mas TV aberta ainda lidera os investimentos em publicidade

Fonte: Observatório da TV

21 de março de 2022

Dados do Cenp-Meios mostram que a participação da TV representa 45,4% do total das verbas, contra 33,5% da Internet

O Cenp-Meios divulgou o total dos investimentos em publicidade no mercado brasileiro em 2021.

O valor investido via agências de publicidade no ano passado chegou a R$ 19,7 bilhões, e a maior fatia desse montante, 45,4%, foi para a TV aberta, seguida pela Internet, que ficou com 33,5%.

Apesar de Televisão ainda seguir na liderança, esta é a menor participação do meio desde 2017, quando teve início o levantamento Cenp-Meios.

Desde então, o percentual referente à Televisão aberta vem caindo paulatinamente, ano após ano.

Internet, por sua vez, subiu progressivamente de um período a outro.

A TV abocanhava 58,7% das verbas, e a Internet 14,8% em 2017.

Em 2018, foram destinados 58,3% para TV e 17,7% para a web.

No ano seguinte, 2019, foram 52,8% para TV, enquanto Internet subiu para 21,2%.

Já em 2020, Televisão caiu para 51,9% e Internet subiu para 26,7%.

2021

Em 2021, Mídia Exterior/OOH (out-of-home) ficou com 8,6% dos investimentos.

Televisão Por assinatura (6,4%), Rádio (3,8%), Jornal (1,9%), Revista (0,4%) e Cinema (0,1%) completam o levantamento.

O sistema Cenp-Meios faz parte do Cenp – Fórum da Autorregulação do Mercado Publicitário.

Esse mapeamento totaliza dados referentes às compras de mídia publicitária realizadas e veiculadas por agências por ordem e conta de clientes-anunciantes.

Tais valores são totalizados e agregados por período e meio. Não são recebidos nem divulgados dados negociados individualmente em cada transação.

O levantamento é feito por 298 agências (245 matrizes e 53 filiais) de publicidade.

O quadro com os dados pode ser conferido no site do Cenp-Meios.

Internet

Os dados do meio Internet são subdivididos em: Internet-Busca (quando se tratar de veículos buscadores); Internet-Social (quando se tratar de redes sociais); Internet-Vídeo (quando se tratar de utilização de mensagens de vídeos); Internet-Áudio (quando se tratar de utilização de mensagens de áudio); Internet-Display e outros.

Já os dados dos meios Jornal, Revista e TV por Assinatura incluem investimentos nas demais plataformas destes meios.

Confira matéria no Observatório da TV

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Entenda como a Lei de Serviços Digitais pode impactar empresas de tecnologia (e se pode chegar ao Brasil)
Nos últimos meses, a União Europeia (UE) protagonizou intensos embates com empresas de tecnologia global a fim de assegurar a criação e cumprimento de normas reguladoras para o setor. Após intensas 16 horas de negociações, o bloco aprovou a Lei de Serviços Digitais (ou Digital Services Act, em inglês). A nova legislação prevê maior controle e impõe novas limitações para empresas de tecnologia […]
Documento do Google revela estratégia para conter lei de restrição a big techs
Vazamento de documento interno do Google destinado a remover “restrições irracionais” e “redefinição da narrativa política” revela táticas que big techs utilizam nos bastidores para manipular legisladores e o discurso político. A gigante planeja campanha agressiva contra medidas da União Européia para conter o poder das grandes tecnologias.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail