Home / Greve dos roteiristas chega ao fim em acordo com estúdios

Greve dos roteiristas chega ao fim em acordo com estúdios

Fonte: Meio e Mensagem

27 de setembro de 2023

O Writers Guild of America (WGA), sindicato dos roteiristas dos Estados Unidos, anunciou o fim da greve da categoria nesta quarta-feira, 27.

De acordo com a associação, a decisão ocorreu após firmar um acordo provisório de três anos com a Aliança de Produtores de Cinema e Televisão (AMPTP) sobre novos modelos de contrato.

O comunicado foi feito por meio de uma postagem do WGA em seu perfil no X (antigo Twitter). “O WGA chegou a um acordo provisório com o AMPTP. Hoje, nosso Comitê de Negociação, o Conselho do WGAW e o Conselho do WGAE votaram unanimemente para recomendar o acordo”, escreveu o sindicato. Com isso, a volta ao trabalho fica autorizada a partir desta quarta-feira.

A paralisação do trabalho ocorreu em maio e perdurou por 148 dias e teve o apoio do SAG-AFTRA, sindicato estadunidense que representa 160 mil atores. Os membros foram impedidos de participar de divulgações de projetos até o final da greve. Uma matéria da BBC indica que a greve dos roteiristas de Hollywood custou cerca de US$ 5 milhões para a economia dos EUA.

Entre as reivindicações estavam o aumento de salário em meio à um cenário de concorrência acirrada com a ascensão do streaming. O cenário vem criando uma era de conteúdos mais curtos e menores pagamentos residuais. Além disso, a massificação da IA na indústria passou a se tornar uma ameaça. A tecnologia estaria sendo usada para a criação de roteiros, fazendo com que os redatores perdessem muitos trabalhos do zero.

Condições para o fim da greve dos roteiristas

O documento do acordo conta com quase cem páginas sobre as novas condições de trabalho da categoria. A BBC aponta também que executivos da Netflix, Disney, Universal e Warner Bros. participaram pessoalmente das negociações junto aos grupos.

Entre as previsões, está o aumento de remuneração e melhores condições de pagamentos para os roteiristas e novas exigências de níveis mínimos de profissionais em salas de roteiristas de TV. Segundo o WGA, o acordo é “excepcional” e fornece ganhos e proteções significativas para escritores em todos os setores, conforme indica reportagem da Variety.

No que diz respeito ao uso da IA, a ferramenta não pode ser aplicada para escrever ou reescrever material. Ademais, não será possível creditar conteúdos gerados por meio da IA à categoria. Seu uso também fica restrito ao consentimento da empresa, bem como ao respeito de políticas da empresa sobre a questão.

Contudo, a companhia não pode exigir que um determinado software seja utilizado para a redação e não pode fornecer materiais de autoria de redatores para treinar soluções de inteligência artificial. Para casos de materiais já gerados por IA, é dever da empresa divulgar o fato ao roteirista.

Confira matéria no Meio e Mensagem

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Projeto quer modernizar bancas de jornais em São Paulo
Bancas de jornais autofinanciáveis, com telas digitais, wi-fi, espaço para anúncios Out Of Home (OOH) e possibilidade de contabilizar o número de visitantes com estatísticas a partir de interface com celulares. A proposta foi apresentada na Comissão de Logística da Aner pelo presidente do Sindicato dos Vendedores de Jornais e Revistas de São Paulo (Sindjorsp), José Antônio Mantovani. O […]
Digital possibilita explorar inúmeros formatos e gerar audiência nas telas
O digital foi um grande parceiro para o desenvolvimento do OOH. Sem ele nada ou quase nada seria como hoje. Aliás, após o Cidade Limpa, a mídia exterior nunca mais foi a mesma. Segundo Leonardo Chebly, CEO da NEOOH, alguns pontos são fundamentais para explicar o desempenho positivo do setor. Primeiro foi a saída do […]

Receba a newsletter no seu e-mail