Home / Estados Unidos aprovam lei que impede monopólio de pagamento em big techs

Estados Unidos aprovam lei que impede monopólio de pagamento em big techs

Fonte: UOL

4 de fevereiro de 2022

O Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos, aprovou um projeto de lei que restringe como lojas de aplicativos de empresas dominantes do mercado, como Apple e Google , da Alphabet a controlar os métodos utilizado em suas plataformas.

A medida, liderada pelos senadores Richard Blumenthal e Amy Klobuchar (democratas) e Marsha Blackburn (republicana), impede que as grandes companhias de tecnologia forcem que seus métodos de pagamento sejam os únicos autorizados em seus serviços.

Segundo a Reuters, as empresas como os principais produtos um dos principais legisladores são de consumidores finais. Blackburn acusou os executivos do Vale do Silício de “arrogância” e de se recusar a atender o Congresso.

Hoje, Google e Apple recebem um percentual de 30% sobre cada operação realizada dentro de suas plataformas.

Empresas

Em carta aos principais legisladores, a Apple alegou que a medida foi considerada favorável ao “side-loading”: o carregamento de aplicativos sem usar a App Store da empresa. Segundo a gigante de tecnologia, esta autoridade permitirá que as companhias de aplicativos m o que uma carta de chamadas de proteções de privacidade “pró-consumidor” da Apple.

Os Estados Unidos já estão usando o sistema de tarifas por transação própria, mas não conta com seu pagamento de nos protestos.

“O projeto de lei de distribuição de benefícios ao consumidor fornecido pelos sistemas atuais e o projeto de compra de pagamento ao cliente são as plataformas de jogos, o que pode equivaler ao Congresso a escolher artificialmente e o comprador de um mercado altamente competitivo”, segundo Mark Isakowitz presidente de políticas públicas da empresa.

Para ambas as empresas, o valor é crucial para seu arrendamento. A loja de aplicativos da Apple ancora seu negócio de serviços de 68,4 bilhões de dólares. Já o Google Play, só recebeu em 2021, aproximadamente 48 bilhões de dólares.

Confira matéria no UOL

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

‘Se a imprensa está sendo atacada, é porque é relevante’, diz presidente da ANJ
Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da ANJ, Marcelo Rech, fala sobre a importância da imprensa profissional no combate à desinformação e defende a aprovação de uma lei que obrigue as big techs a remunerarem as empresas jornalísticas.
A força da publicidade na geração de empregos
Artigo de Dudu Godoy, presidente do Sinapro-SP, VP executivo da Fenapro e VP do Cenp, detalha os números relatados no estudo da Deloitte que destacam o impacto da publicidade na geração de empregos.

Receba a newsletter no seu e-mail