Home / Como as cores impactam os anúncios nas redes e plataformas digitais

Como as cores impactam os anúncios nas redes e plataformas digitais

Fonte: Propmark

6 de dezembro de 2022

O estudo da VidMob mediu o uso de cor de cada anúncio de acordo com quatro atributos visuais: vibração, temperatura, cor e contraste

A VidMob lançou um estudo que aponta o desempenho das cores nos anúncios publicados nas redes sociais e em plataformas digitais. A pesquisa analisou mais de 5 milhões de anúncios em vídeos do Facebook e Instagram no período de um ano.

Ao longo do estudo, a plataforma mediu o uso de cor de cada anúncio de acordo com quatro atributos visuais: vibração, temperatura, cor e contraste de cor do texto, e como eles se relacionam com o desempenho da campanha.

“Quando criamos um anúncio é preciso estar atento a cada mínimo detalhe, quem é o público que queremos impactar, de que forma esse o usuário consome conteúdo, em que plataforma, horário etc. E, a escolha da cor é parte essencial para o sucesso da peça publicitária, já que ela vai ajudar a contar a história de forma que os espectadores interpretem a campanha de forma assertiva”, afirmou Miguel Caeiro, Head Latam da VidMob.

Um dos principais pontos levantados pela pesquisa foi que, embora a temperatura da cor não tenha gerado nenhuma alteração perceptível nas taxas gerais de visualização de 3 segundos, uma análise mais detalhada dos dados revelou que o desempenho das campanhas de beleza que apresentavam anúncios com paletas de cores mais frias era 60% melhor. Já as campanhas de cuidados pessoais, o estudo apontou para o oposto, com anúncios mais quentes levando a um aumento de 40% no desempenho em comparação com campanhas que usaram criativos em tons frios.

“Outro ponto importante que foi observado é que dependendo de onde o anúncio for postado – Feed e Stories -, o contraste de cores pode levar a um aumento significativo do desempenho da campanha dentro do mesmo setor. Um exemplo disso é que as publicações sobre cuidados pessoais com maior contraste foram 63% melhores nas taxas de visualização da campanha em comparação com anúncios com menor contraste”, explicou Caeiro.

Em relação a vibração, ou seja, quão colorida é uma imagem com base em seu brilho, saturação e consistência, o estudo notou que a alta vibração das cores aumentou as taxas de conversão da campanha em ambas as categorias, um aumento de 38% em relação à baixa vibração.

Já no texto, o copy do anúncio se destacou apenas moderadamente do plano de fundo do anúncio (contraste de cor do texto), com um aumento de 40% nas taxas de engajamento da campanha em ambas as categorias, em comparação com campanhas que usaram textos de alto contraste.

Confira matéria no Propmark

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Edu Simon: “Estamos de olho em relações que sejam sustentáveis”
CEO da Galeria e VP da ABAP, Eduardo Simon fala, em entrevista ao Propmark, sobre os resultados e expectativas da agência e também sobre as mudanças e desafios do mercado publicitário.
Lira quer retomar votação do PL das Fake News e destravar debate sobre direitos autorais
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), quer retomar na semana que vem a votação do PL das Fake News – mas precisa destravar o debate sobre a proteção dos direitos autorais, um dos três pilares da proposta. Os artistas defendem que sejam mantidas no texto a proteção aos direitos autorais e a garantia de remuneração a […]

Receba a newsletter no seu e-mail