Home / Comitê de supervisão do Facebook diz que rede social não é clara sobre suas regras

Comitê de supervisão do Facebook diz que rede social não é clara sobre suas regras

Fonte: G1

21 de outubro de 2021

Grupo que funciona como alta corte da plataforma lançou relatório sobre sua atuação e indicou que empresa não responde a todas as duas demandas.

O comitê de supervisão do Facebook, grupo que funciona como alta corte da plataforma sobre as decisões de moderação de conteúdo da rede social, lançou nesta quinta-feira (21) um relatório de transparência sobre as recomendações feitas à plataforma.

O documento detalha quais foram suas decisões sobre os casos revisados desde o 4º trimestre de 2020, quando iniciou sua atuação, e como o Facebook respondeu a cada uma delas.

De acordo com o grupo, a plataforma ainda não é clara e deixa as pessoas “adivinharem” suas regras sobre a remoção de posts.

Em um dos primeiros casos analisados, o Facebook removeu um conteúdo mas não especificou qual regra foi infringida, enquanto em outro não houve análise do apelo feito pelo usuário.

“Muitos podem se identificar com a experiência de ter seu conteúdo removido com poucas explicações sobre o que fizeram de errado”, escreveu o comitê.

O grupo foi convidado pelo Facebook para analisar o sistema de “checagem cruzada”, uma ferramenta que isentaria personalidades das regras da rede social, segundo uma reportagem do “Wall Street Journal”, mas disse que a plataforma ainda não tem sido “totalmente comunicativa” sobre o tem.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O relatório aponta que embora a rede social responda a maioria das perguntas feitas pelo comitê, em 9% das ocasiões ela se recusou enviar mais informações e em 8% respondeu parcialmente.

Até aqui, o comitê de supervisão analisou 11 casos (a partir deles, são feitas recomendações que devem valer para casos similares) – em 8 deles a recomendação do conselho revertia a decisão original do Facebook.

Foram realizadas 52 recomendações de ajustes nas políticas da plataforma sobre conteúdo, execução das regras ou transparência.

O relatório indica ainda o Facebook identificou 38 decisões incorretas durante a pré-seleção dos casos que seriam investigados pelo grupo.

Confira a matéria no G1.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Regras de publicidade: o tipo de publicidade permitida para escritórios de advocacia
Artigo de Mariellen Romero, professora de Marketing Jurídico da ESA OAB RJ, fala sobre a eficácia do conteúdo informativo no marketing jurídico, prática que deve pautar o novo provimento sobre as normas de propaganda e publicidade para a advocacia.Leia Mais
78% dos brasileiros ouvem rádio, aponta estudo da Kantar Ibope Media
Estudo Inside Radio 2020, da Kantar Ibope Media, revela que o distanciamento social ampliou a conectividade do rádio com a internet, aumentando o tempo de acesso ao meio pela web e as interações nas redes sociais. Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail