Home / Big techs podem ter que pagar por conteúdo jornalístico na Califórnia

Big techs podem ter que pagar por conteúdo jornalístico na Califórnia

Fonte: Olhar Digital

7 de junho de 2023

A Assembleia da Califórnia (EUA) aprovou, nesta sexta-feira (02), um projeto de lei que obriga as empresas de tecnologia a pagarem para veicular conteúdo jornalístico nas suas respectivas plataformas.

  • A Assembleia da Califórnia (EUA) aprovou, nesta sexta-feira (02), um projeto de lei que prevê que big techs (Meta, Google, Microsoft etc) paguem para acessar conteúdo jornalístico;
  • Neste acesso, entra: aquisição, rastreamento e indexação do conteúdo jornalístico pelas plataformas;
  • Na Assembleia, a proposta teve 46 votos a favor e seis contra;
  • O próximo passo para o projeto de lei é passar por análise no Senado estadual.

O próximo passo para a proposta, que teve 46 votos a favor e seis contra na assembleia, é passar por análise no Senado estadual.

O projeto da Lei de Preservação do Jornalismo prevê que as big techs – por exemplo, Meta, Google e Microsoft – repassem uma porcentagem de suas receitas com publicidade para acessar conteúdos produzidos por veículos de jornalismo digital.

Neste acesso, entra: aquisição, rastreamento e indexação do conteúdo jornalístico pelas plataformas. O projeto propõe que 70% do valor obtido com a regra seja destinado para jornalistas contratados pelos veículos de imprensa.

A organização News/Media Alliance, que representa cerca de dois mil veículos de jornalismo nos Estados Unidos, afirmou que a aprovação do projeto na Assembleia da Califórnia é uma “ação decisiva e direta para salvar o jornalismo”.

“Estamos extremamente encorajados a ver esse progresso em nível estadual, o que mostra que os estadunidenses entendem a importância e o valor do jornalismo para manter suas comunidades seguras e informadas e responsabilizar os que estão no poder”, Danielle Coffey, presidente da News/Media Alliance

O projeto da Califórnia segue o modelo da Austrália, o primeiro país a forçar redes sociais a pagarem pelo uso de conteúdo jornalístico. No começo, a lei australiana gerou resistência de Facebook e Google. Mas ambas chegaram a acordos com os veículos de mídia.

No Brasil, o PL das Fake News também prevê que as plataformas paguem para exibir o que é publicado por empresas jornalísticas. O projeto de lei aguarda votação na Câmara, que, segundo o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), não tem prazo para rolar.

Confira matéria no Olhar Digital

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Agências adotam flexibilização como regra para rotina de trabalho
A flexibilização no uso de máscaras, anunciado por algumas cidades brasileiras nos últimos dias, trouxe a sensação de que o período mais crítico da pandemia de Covid-19 pode, finalmente, ter ficado para atrás. O avanço dos índices de imunização na população brasileira associado à diminuição dos números de infectados permitiu que algumas atividades, como os […]
Geek Power indica diferenças geracionais no consumo dos geeks
Tradicionalmente, durante o Unlock, evento de negócios pré-CCXP do Omelete, o grupo apresenta a pesquisa Geek Power, um levantamento feito em parceria com a MindMiners cujo intuito é compreender os hábitos de consumo dos geeks. Este ano, o estudo incluiu as divergências e concordâncias no perfil consumidor dos millennials e dos geeks da geração Z. A edição da […]

Receba a newsletter no seu e-mail