Home / Abap promete criar protocolo para produções audiovisuais

Abap promete criar protocolo para produções audiovisuais

Fonte: Meio e Mensagem

14 de novembro de 2023

Após a Associação Brasileira de Produção de Obras Audiovisuais (Apro) ter divulgado uma carta para criticar a criação, por parte das agências de publicidade, de estruturas internas de produção audiovisual, a Abap, entidade que representa as agências de publicidade, pretende criar um protocolo para orientar o setor a respeito do tema.

Questionada pela reportagem sobre o teor das reclamações feitas pela Apro de que as agências estariam criando uma concorrência desleal para o mercado de produtoras independentes, a Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap), diz que mantém diálogo com a Apro e que deve estruturar um grupo para analisar o tema.

“A ABAP mantém diálogo constante com a APRO e um grupo de trabalho multidisciplinar para estudar as melhores práticas de mercado sobre o tema está sendo montado. A exemplo do Guia de Diretrizes de Compliance, estruturado pela entidade, buscaremos a construção de um protocolo de referência para orientação do setor para produções audiovisuais”, prometeu a Abap, em comunicado enviado por sua assessoria de comunicação.

A reclamação da Apro sobre as in-houses de produção das agências

Por meio de uma carta aberta, que começou a ser divulgada na quarta-feira, 8, a Apro manifestou sua preocupação e desconforto em relação à criação de estruturas internas de produção nas agências de publicidade.

Na visão da Apro, ao criar estruturar internas e operações in-house de produção, as agências de publicidade acabam prejudicando o segmento das produtoras, que têm nos trabalhos de publicidade a maior fonte de receitas.

“Com o acesso completo às propostas financeiras e soluções criativas apresentadas por empresas produtoras concorrentes em seus orçamentos e tratamentos, cria-se margem para manipulações, apropriação e ajustes destinados ao favorecimento de suas próprias propostas internas”, diz a carta da Apro.

Ainda na carta, a associação de produção orienta que, até que o assunto seja suficientemente discutido por todo o mercado, todas as produtoras associadas abdiquem de participar de processos de concorrência que contem com estruturas internas de produção (in-houses) de agencias entre as interessadas.

Confira matéria no Meio e Mensagem

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Advogado Sergio Pompilio é eleito novo presidente do Conar
Pelos próximos dois anos, o Conselho Nacional se Autorregulação Publicitária (Conar) será presidido pelo advogado Sergio Pompilio, eleito nesta terça-feira, 5. Ele assume a cadeira de João Luiz Faria Netto, que estava à frente do órgão desde 2018. Formado pela Universidade Mackenzie e especializado em direto empresarial e tributário, Pompilio é atualmente o vice-presidente de […]
CEOs do Facebook, Google e Twitter interrogados sobre moderação de conteúdo em audiência no Senado dos EUA (em inglês)
Os líderes do Twitter, Google e Facebook enfrentaram fortes críticas de senadores americanos sobre moderação de conteúdo em uma audiência no Senado dos EUA. Os parlamentares também debateram a reforma da Seção 320 do “Communications Decency Act”, a controversa lei que protege as empresas da responsabilidade sobre o que é publicado por seus usuários.Leia Mais

Receba a newsletter no seu e-mail