Home / Publicidade direcionada: meta passa a exigir consentimento aos europeus

Publicidade direcionada: meta passa a exigir consentimento aos europeus

Fonte: Meios e Publicidade

3 de agosto de 2023

A Meta, empresa que detém o Facebook, Instagram e WhatsApp, vai passar a pedir formalmente consentimento aos utilizadores europeus das suas redes sociais para lhes poder mostrar anúncios direcionados. Há muito que a União Europeia (UE) pressionava a companhia norte-americana para o fazer.

Até aqui,  a organização liderada por Mark Zuckerberg recolhia, armazenava e analisava esses dados  sem qualquer autorização expressa dos autores das contas e dos perfis dessas redes sociais.

Nas últimas horas, em comunicado de imprensa, assumindo a pressão regulatória europeia, a Meta anunciou a intenção de a passar a exigir, não revelando todavia a partir de quando nem em que moldes.

“Estas decisões não acabam com a publicidade direcionada nas nossas plataformas. Os anunciantes podem continuar a usá-las para chegar a consumidores potenciais, fazer crescer os seus negócios e atingir novos mercados”, esclarece a empresa californiana.

Além dos países da UE e do Espaço Económico Europeu, a medida também abrange os utilizadores suíços. Em janeiro, a Meta foi multada em 390 milhões de euros pelo regulador de dados pessoais irlandês, agindo em nome da UE, pela violação do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD).

Confira matéria no Meios e Publicidade

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

‘Ninguém quer calar o cidadão comum’, diz consultor da lei das fake news
O jurista Ricardo Campos, que acompanhou a promulgação da lei alemã contra o discurso de ódio em 2017 e ajudou a elaborar uma proposta de lei para o Brasil que foi em grande parte incorporada ao Projeto de Lei contra as fake news, explica, em entrevista para o UOL, como o objeto do PL é a […]
Google paga mais de R$ 49 bilhões por ano para empresas adotarem seu mecanismo de busca, afirma Justiça dos EUA
Começou na terça-feira (12) nos Estados Unidos o maior julgamento antitruste da tecnologia em 20 anos, dessa vez envolvendo o Google. No primeiro dia da ação, os advogados do Departamento de Justiça do país disseram que a big tech usou acordos com empresas como Apple, Samsung e Mozilla Firefox para tornar a sua pesquisa padrão em smartphones e navegadores da web […]

Receba a newsletter no seu e-mail