Home / Procon-SP multa Facebook por apagão

Procon-SP multa Facebook por apagão

Fonte: Meio&Mensagem

6 de dezembro de 2021

Valor de R$ 11 milhões pune big tech por má prestação de serviço das redes sociais no dia 4 de outubro, quando o acesso ao Facebook, Instagram e WhatsApp ficou indisponível

O Procon-SP anunciou nesta segunda-feira, 6, que irá multar o Facebook, atual Meta, em R$ 11,2 milhões pelo “apagão” do dia 4 de outubro, que prejudicou usuários do Instagram, Facebook e WhatsApp. A punição está sob a justificativa de má prestação de serviço, uma vez que as plataformas ficaram fora do ar por cerca de seis horas.

A notificação da multa foi feita ainda em outubro, no dia 6, e pedia ainda explicações sobre os motivos que levaram à queda dos aplicativos. A big tech tem direito a apresentar defesa.

De acordo com Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP, houve clara falha na prestação do serviço, prejudicando milhões de consumidores no Brasil e no mundo. “Embora o serviço não seja cobrado, a empresa lucra com os usuários, logo, há relação de consumo”, afirma, em nota à imprensa.

Ainda, o Procon constatou cláusulas abusivas nos termos de uso dos três aplicativos, representando uma infração do artigo 51 do Código de Defesa do Consumidor, que indica que “São nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que: impossibilitem, exonerem ou atenuem a responsabilidade do fornecedor por vícios de qualquer natureza dos produtos e serviços ou impliquem renúncia ou disposição de direitos”.

As cláusulas incluem a possibilidade de alteração unilateral do contrato por parte da empresa, como mudança do nome de usuário da conta, encerramento ou alteração do serviço e remoção ou bloqueio de conteúdo. No contrato do Facebook também consta a isenção de responsabilidade por problemas que possam ocorrer em tais prestações de serviços.

Confira a matéria no Meio&Mensagem.

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Pesquisa indica preferências de consumo em favelas
Pesquisa Persona Favela, realizada pela Outdoor Social Inteligência, indica que estudantes com ensino superior em comunidades do G10 consomem R$ 9,9 bilhões por ano.
Com trabalho remoto, agências expandem fronteiras na contratação
De maio a novembro de 2020, auge da pandemia da Covid-19, a população brasileira ocupada e não afastada no País foi de 74 milhões. Desse número, 8,2 milhões passaram a trabalhar de maneira remota, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Posteriormente, com a flexibilização das medidas de distanciamento social, a dinâmica de […]

Receba a newsletter no seu e-mail