Home / Na ‘terceira temporada’ da Africa, Santoro e Gordilho voltam a ser donos

Na ‘terceira temporada’ da Africa, Santoro e Gordilho voltam a ser donos

Fonte: Brazil Journal

20 de abril de 2023

Os publicitários Marcio Santoro e Sergio Gordilho chegaram a um acordo com a Omnicom para voltar a ter uma participação acionária na Africa, uma das três maiores agências de publicidade do País. O acordo com a Omnicom – o gigante americano que ganhou o controle da Africa ao comprar o Grupo ABC oito anos atrás – dá aos publicitários “uma participação minoritária relevante” e a possibilidade de usar parte do novo equity para alinhar outros executivos, Santoro e Gordilho disseram ao Brazil Journal. “Na história da publicidade é muito comum o fundador sair e montar uma nova agência,” disse Gordilho. “Mas nós decidimos não ir por esse caminho, e sim recomeçar e pensar uma nova Africa em vez de uma nova agência.”

Santoro disse que o novo alinhamento de interesses foi uma forma de “criar valor sem destruir valor.” A Africa está adicionando a palavra Creative a seu nome, refletindo a nova fase. A agência atende clientes como Itaú, Vivo, Ambev, Vale, Natura&Co e BRF – muitos deles, há 20 anos. 

Num setor marcado por rankings complexos que dificultam comparações, estimativas do mercado indicam que a agência comprou mais de R$ 1,8 bilhão em mídia ano passado, de um bolo total estimado em R$ 21 bi. A negociação durou um ano e meio, e a dupla foi assessorada pelo FM/Derraik e BMA Advogados. A Omnicom tinha um incentivo substancial para fazer o negócio, dado que quase 100% do faturamento da Africa vem dos chamados clientes ‘não-alinhados’, ou seja, empresas brasileiras cuja conta foi conquistada localmente em vez de herdada de uma relação da matriz. O mercado publicitário de outrora era dominado por mamutes como a Unilever e a P&G – que decidiam as campanhas em Nova York e pulverizavam a compra de mídia globalmente.  Mas com o advento da internet – que forçou as campanhas a serem cada vez mais locais – e a emergência de grandes grupos nacionais, o mercado publicitário agora depende mais destas contas, o que aumenta a importância do relacionamento com os CEOs e controladores destas empresas.

Para Santoro e Gordilho, renegociar a sociedade com a Omnicom em vez de sair para criar um novo negócio também fazia todo sentido, mantendo a escala de compra de mídia que já possuem na Africa bem como o acesso a ferramentas de tecnologia valiosas num momento de transformação vertiginosa na indústria criativa.

“A publicidade antes era muito em cima da intuição, mas hoje exige ferramentas e bases de dados que custam milhões de dólares,” disse Santoro. “Uma agência independente não tem acesso a isso.” Quando o ABC foi vendido, diversos sócios-fundadores deixaram a Africa depois do earnout, incluindo Nizan Guanaes, Guga Valente e fundos de private equity geridos pelo Icatu e a Kinea. Gordilho e Santoro ficaram, formando um dos casamentos mais bem sucedidos da indústria. Copresidentes há 14 anos, os dois formam a única dupla da publicidade brasileira em que os dois já foram Dirigentes da Indústria pelo Prêmio Caboré, o Oscar do setor. 

A Agency Scope, a principal pesquisa do mundo publicitário, disse em dezembro que a Africa é a única agência do mundo a liderar todos os seus rankings por 16 anos consecutivos, e que o desafio da agência é um só: “consolidar” esses níveis de satisfação do cliente.

Como parte da nova temporada, Santoro e Gordilho abriram a Asia, uma nova agência em que os dois são sócios da Omnicom, e planejam investir em negócios adjacentes. Comandada pelos sócios Vico Benevides e Sergio Brandão, a Asia nasceu ao ganhar a conta da montadora chinesa Great Wall Motors – uma das maiores concorrências do ano passado – e está prestes a anunciar novos clientes. Na sala de Gordilho com vista para a Faria Lima, uma plaquinha na mesa comanda: “DO EPIC SHIT”.  A volta da dupla ao captable da Africa talvez não atinja o status de ‘épica’, mas seu ineditismo pode logo se tornar uma inspiração para outras agências.

Confira matéria no Brazil Journal

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

O que é infoproduto e como empresas podem vender esse tipo de conteúdo
Muitas empresas e até mesmo pessoas físicas buscam descobrir o que é infoproduto para rentabilizar o seu conhecimento e a sua expertise em determinado assunto. O crescente interesse em torno desse mercado está no potencial de lucro. De acordo com uma pesquisa da Valuates Reports, os serviços digitais de infoprodutos vão alcançar uma receita de US$ […]
Resolução CFM 2.336/2023: a nova Publicidade Médica
O CFM anunciou esta manhã (12/9) o conteúdo da Resolução CFM 2.336/2023, que será publicada amanhã (13/9) no diário oficial. A Resolução atualiza as regras da publicidade médica, estabelecendo critérios modernos e mais adequados à realidade do século XXI, na qual a sociedade se comunica sobretudo por meio das redes sociais. A Resolução CFM 2336/2023 […]

Receba a newsletter no seu e-mail