Home / MPF investiga Jovem Pan por fake news e incitação a atos golpistas

MPF investiga Jovem Pan por fake news e incitação a atos golpistas

Fonte: Metrópoles

11 de janeiro de 2023

Ministério Público Federal abriu um inquérito para investigar a rede Jovem Pan por possível prática de disseminação de fake news e por incitação a atos antidemocráticos.

Em nota publicada nesta segunda-feira (9/1), o MPF afirma que “realizou levantamento ao longo dos últimos meses e detectou que a Jovem Pan, a princípio, tem veiculado sistematicamente fake news e discursos que atentam contra a ordem institucional, em um período que coincide com a escalada de movimentos golpistas e violentos em todo o país”.

Na portaria, o órgão diz que os comentaristas da emissora minimizaram o “teor de ruptura institucional” durante a cobertura dos atos de vandalismo ocorridos em Brasília neste domingo (8/1) e tentaram justificar as motivações dos manifestantes golpistas que invadiram e depredaram a sede dos três poderes.

Nesta segunda, Antonio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, deixou a presidência da Jovem Pan. A saída do cargo ocorre após golpistas bolsonaristas invadirem e depredarem o Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal (STF).

O que diz o inquérito

O MPF afirma que “considerações de descrédito às instituições e ao processo democrático vêm ganhando fôlego” na programação da Jovem Pan desde o ano passado, com ataques ao funcionamento das urnas eletrônicas e à atuação de membros do Judiciário.

A portaria também aponta que vários dos programas analisados continham falas com “potencial efeito de incitação a atos violentos no país”.

A Jovem Pan terá 15 dias para fornecer ao MPF as informações detalhadas da programação e os dados pessoais de apresentadores e comentaristas de programas da casa.

O documento também traz uma notificação para que a empresa não faça qualquer alteração nos canais que mantém no YouTube, como excluir vídeos ou tornar a visualização restrita. O MPF também pediu ao YouTube que preserve a íntegra de todos os vídeos publicados pela Jovem Pan desde janeiro de 2022.

A plataforma deverá ainda informar em até 30 dias a relação completa dos conteúdos removidos ou cujo acesso público foi restringido pela emissora, para compreender melhor quais razões motivaram essas ações.

Segundo o Procurador Regional dos Direitos do Cidadão Adjunto em São Paulo, Yuri Corrêa da Luz, que assina a portaria, a investigação vai avaliar se a Jovem Pan violou direitos fundamentais da população e incorreu em abusos à liberdade de radiodifusão.

Caso comprovados, os crimes podem gerar multas e indenizações por dano moral coletivo, assim como ações judiciais em favor da suspensão da concessão por até 30 dias e até mesmo sua cassação. Para o MPF, “o regime de direito público pertinente aos serviços de radiodifusão coloca limites à iniciativa privada, ao exigirem que sua exploração voltada ao lucro seja compatibilizada com responsabilidade social”.

Confira matéria no Metrópoles

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Projeto de lei nos EUA pode ‘quebrar’ receitas do Google
Os legisladores de ambos os partidos devem apresentar projetos de lei que podem quebrar o domínio do Google sobre o negócio de publicidade e começar a acabar com os monopólios das Big Techs, segundo apurou o portal The New York Post. O senador Mike Lee (R-UT) deve apresentar, dentro de semanas, um projeto que impediria o […]
A Apple triplica a receita de publicidade com uma técnica perfeita: derrubar seus rivais
A plataforma própria de publicidade da Apple tem crescido dramaticamente nos últimos meses após a empresa limitar a coleta de dados de seus concorrentes nos dispositivos iOS.

Receba a newsletter no seu e-mail