Home / Google manipula usuários para permitir rastreamento

Google manipula usuários para permitir rastreamento

Fonte: Media Post

29 de junho de 2022

O Google manipula injustamente as pessoas que criam contas para consentir com a coleta e uso de dados, alegam grupos de defesa em uma carta pedindo à Federal Trade Commission que investigue a empresa de tecnologia.

“O processo de inscrição da conta não atende às condições exigidas para o consentimento informado”, dizem órgãos de vigilância, incluindo o Electronic Privacy Information Center, Center for Digital Democracy, US PIRG (Grupo de Pesquisa de Interesse Público) e Fairplay em uma nova carta à FTC.

O grupo de consumidores European Consumer Organization, com sede em Bruxelas, está fazendo uma reclamação semelhante à autoridade irlandesa de proteção de dados. Essa organização também divulgou um relatório na quarta-feira, “Rastreamento rápido: como o Google torna a privacidade a escolha difícil”, que diz que o Google “está orientando injustamente os consumidores durante o processo de inscrição da conta, para que eles aceitem vigilância em todos os produtos e serviços do Google”.

A FTC moveu ações de execução anteriores contra o Google por supostamente não honrar suas promessas de privacidade, mas não parece ter movido um processo contra a empresa apenas por design supostamente manipulador.

Mas a agência recentemente sinalizou que planeja examinar amplamente questões sobre design online – incluindo os chamados “padrões obscuros” que manipulam os usuários para concordar com a coleta e uso de dados.

As organizações dos EUA argumentam com a FTC que o Google projetou seu processo de criação de contas de maneira que “destaque as opções que permitiriam a coleta e o uso mais possível de informações”.

Por exemplo, de acordo com os grupos de defesa, quando o Google pede aos usuários que concordem com seus termos de privacidade, a empresa enterra informações sobre rastreamento e personalização de anúncios em um link que diz “mais opções”.

“Somente clicando e expandindo essas opções o usuário vê que foi automaticamente ativado para rastreamento de atividades na Web e de aplicativos, personalização de anúncios e histórico do YouTube”, escrevem os grupos. “Desativar o rastreamento não apenas exige várias etapas adicionais para o usuário, tornando mais difícil rejeitar a coleta e o uso de dados pessoais do que aceitá-los, mas também fica oculto aos usuários, a menos que eles explorem completamente todos os links presentes no processo de inscrição, mesmo onde esses links são claramente minimizados em favor de opções destacadas que permitem mais rastreamento.”

Confira matéria no Media Post

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

TSE lança sistema para comunicação de fake news
O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Edson Fachin, lançou na 3ª feira (21.jun.2022) o Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições. Com a ferramenta, qualquer pessoa poderá comunicar a circulação de notícias falsas, manipuladas ou fora de contexto sobre o processo eleitoral brasileiro. “A partir de agora, qualquer pessoa poderá acessar esse […]
WPP: receitas no Brasil crescem 18,2% em 2022
Os resultados financeiros do WPP, revelados nesta quinta-feira, 23, mostram que o mercado brasileiro gerou crescimento expressivo para a holding de comunicação e publicidade. De acordo com o balanço, ao longo de 2022, as receitas das empresas do grupo no mercado brasileiro foram 18,2% maiores do que o registrado no ano de 2021, período em […]

Receba a newsletter no seu e-mail