Home / Gastos com delivery caem e com a Copa explodem, aponta pesquisa

Gastos com delivery caem e com a Copa explodem, aponta pesquisa

Fonte: Fast Company

24 de agosto de 2022

Relatório do Itaú mostra ainda aumento nos pagamentos digitais e mudanças de hábito com o retorno às atividades presenciais

Depois das transformações causadas pela pandemia, alguns hábitos dos consumidores vão ressurgindo e se amplificando, tanto pela retomada da economia e da rotina pré-Covid-19 quanto por grandes eventos que se aproximam.

Já no começo de 2022, uma pesquisa divulgada pela consultoria Capgemini, durante a NRF Retail’s Big Show (convenção da Federação Nacional dos Varejistas dos EUA, o maior evento de varejo do mundo) previa que esses comportamentos mudariam drasticamente nos últimos 18 meses, muitos deles de maneira permanente. 

No Brasil, setores como alimentação, vestuário, transportes e turismo tiveram destaque no segundo trimestre de 2022, com atividades que já mostram o impacto da Copa do Mundo nas despesas envolvendo o Qatar, país que sediará a competição.

É o que mostra o relatório Análise do Comportamento de Consumo, realizada pelo Itaú Unibanco e pela Rede. O estudo traça um panorama dos gastos dos brasileiros nos meses de abril, maio e junho, em na comparação com o mesmo período de 2021 (com base nas compras efetivadas com seus cartões e nas vendas realizadas nos seus sistemas),

O valor transacionado no varejo segue superando os patamares pré-isolamento, com alta de 35%. Na comparação com 2019 – antes da pandemia, portanto –, o aumento nos gastos foi de 63%. As compras no varejo físico seguem com maior representatividade: 76% do volume em faturamento, contra 24% do online.

DE VOLTA ÀS RUAS

O segundo trimestre mostrou um crescimento esperado do gasto com transportes públicos, compartilhados e próprios, já que mais gente retomou a presencial. O valor transacionado em transportes públicos subiu 153% e os custos com veículo próprio cresceram 62%, superando os índices pré-pandêmicos.

Os gastos com viagens internacionais também subiram no segundo trimestre: o valor transacionado praticamente triplicou no período (+ 287%). Ainda assim, o setor não alcançou o patamar de antes da pandemia.

A Copa do Mundo já mostra seu efeito sobre as escolhas dos turistas brasileiros: os gastos relacionados ao torneio no Qatar cresceram 2.275%. Os setores mais impactados são agências de turismo, com alta de 308% no volume de transações, seguido de passagens aéreas, com +102%.

MENOS DELIVERY

No setor de alimentação, a inflação fez com que os consumidores fossem mais vezes aos mercados, mas gastando menos. O número de transações realizadas cresceu 25%, mas com queda de 2% no tíquete médio. Já os gastos com serviços de entrega em domicílio caíram 26%, chegando a níveis semelhantes aos de 2019.

ALUGUEL DE ROUPAS E ARTIGOS DE LUXO

O retorno aos eventos presenciais parece ter influenciado dois comportamentos e setores do vestuário em particular: o aluguel de roupas cresceu 161% e as lojas de couro e artigos de luxo registraram um salto de 34% – ambos superando o número de transações registradas no mesmo intervalo de 2019.

PAGAMENTOS DIGITAIS

O relatório apontou ainda crescimento do uso dos cartões virtuais e das carteiras digitais. No segundo trimestre do ano, o valor transacionado nas wallets cresceu 136% e a quantidade de transações, 142% – com a geração Z liderando a adoção. No caso dos cartões virtuais, a quantidade de operações triplicou, puxada pelo maior uso entre os millennials.

Confira matéria na Fast Company

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Abracom e ABA lançam guia de compras de serviços de comunicação corporativa
A Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom) e a Associação Brasileira de Anunciantes (ABA) lançaram o “Guia de Compras de Serviços de Comunicação Corporativa”. A iniciativa visa a aprimorar e padronizar o processo de seleção de agências de comunicação corporativa. O guia abrange desde a importância de um briefing sólido até a transparência na […]
Google reembolsa anunciantes após relatório de anúncios de baixa qualidade
O Google está reembolsando alguns anunciantes para corrigir discrepâncias de cobrança, de acordo com executivos do segmento. A decisão acontece um mês após um relatório encontrar inventário de anúncios de baixa qualidade em execução no Google Video Partner Program, que coloca anúncios no estilo do YouTube em sites de terceiros. Um representante do Google afirmou que […]

Receba a newsletter no seu e-mail