Home / Democracia depende de revisão do modelo de negócios das redes sociais

Democracia depende de revisão do modelo de negócios das redes sociais

Fonte: Tela Viva

27 de abril de 2022

Cofundador da revista Wired na década de 1990, o designer John Plunkett, ao falar das redes sociais, deixa de lado o otimismo pelo qual sua antiga publicação sobre o futuro e sua relação com a tecnologia sempre foi conhecida. Em painel no evento Rio2C, que acontece nesta semana no Rio de Janeiro, Plunkett é enfático ao dizer que o futuro da democracia depende da revisão do modelo de negócios das plataformas de redes sociais.

Sobre a abordagem editorial da Wired, Plunkett diz que havia espaço para uma voz otimista em meio a um jornalismo pessimista, e a tecnologia e seus impactos no futuro abriam espaço para uma visão mais positiva do futuro. No entanto, diz que hoje a humanidade se vê diante de quatro grandes desafios, que colocam sua existência em risco:
* lidar com a complexidade dos sistemas que controlam o uso da energia atômica – “estão tão complexos, que alguém, em algum momento, cometerá algum erro”;
* o envenenamento da água, sobretudo por resíduos plásticos;
* líderes globais “malucos”, citando Donald Trump, Marine Le Pen e Jair Bolsonaro; e por fim,
* as redes sociais – “não conseguiremos arrumar a política se não pudermos arrumar as mídias sociais”.

Segundo o designer, o problema do modelo está na origem das plataformas. “O modelo de negócios foi criado para uma audiência muito pequena. Hoje a audiência é gigantesca, já permite que o modelo de negócios evolua”, diz.

Segundo Plunkett, o modelo das mídias sociais é o de criar bolhas emocionais para os usuários e vendê-los para o maior lance. “A mídia social é uma máquina perfeita para exagerar nossos medos, nossas esperanças”, diz.

Por fim, diz que está “de dedos cruzados” pelo Twitter e sugeriu a adoção de um modelo de negócios por assinatura que, de alguma forma, subsidie aqueles que não podem pagar.

Confira matéria na Tela Viva

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

Big techs têm de ser classificadas como empresas de mídia, diz Alexandre de Moraes, do STF
Durante o 15º Congresso da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), defendeu que “da mesma forma que as empresas tradicionais de mídia” têm responsabilidade pelo que publicam, as big techs têm de ser enquadradas pela lei no Brasil e também serem responsabilizadas.Leia Mais
Brasileiro é mais favorável ao trabalho remoto, diz pesquisa
Estudo realizado pela EY mostra que os trabalhadores brasileiros são mais favoráveis ao home office que os profissionais de outros países. O levantamento revela que, por aqui, 53% preferem trabalhar entre três e quatro dias de forma remota, ante 38% no cenário global. Apenas 9% no Brasil optam por trabalhar um dia por semana, ou […]

Receba a newsletter no seu e-mail