Home / Demissões nas big techs ampliaram desinformação na internet, diz NYT

Demissões nas big techs ampliaram desinformação na internet, diz NYT

Fonte: Terra

15 de fevereiro de 2023

O YouTube reduziu o seu time responsável por combater a desinformação na polícia em escala global a um único funcionário

Enfrentando dificuldades econômicas e cada vez mais pressões legais, redes como o YouTube decidiram empregar menos esforços e dinheiro ao combate à desinformação, demitindo experts no assunto e deixando áreas responsáveis completamente abandonadas, noticiou o jornal dos EUA New York Times

Segundo fontes ouvidas pelo portal, um corte de 12 mil funcionários na Alphabet, dona do grupo de big techs do qual o YouTube faz parte, fez com que a plataforma de vídeos reduzisse o seu time responsável por combater a desinformação na polícia em escala global a um único funcionário. 

O YouTube demitiu dois de seus cinco especialistas em desinformação, incluindo o gerente da equipe, deixando para trás uma pessoa por desinformação política e duas por desinformação médica. A rede também demitiu dois de seus cinco especialistas em políticas, chamados de líderes, que trabalham com questões de discurso de ódio e assédio.

Os funcionários desligados eram responsáveis por delimitar limites entre o aceitável e o inaceitável nos discursos produzidos por criadores na plataforma. As fontes também informaram ao NYT que a empresa também demitiu funcionários resposnáveis por aplicações de políticas em situações que demandam respostas mais urgentes. 

A plataforma de vídeos afirmou que os cortes na empresa condizem com as demissões de 6% do quadro de funcionários da Alphabet. 

Fora do YouTube, o Google demitiu uma equipe de gerentes de um programa que ajudava especialistas em políticas, de acordo com documentos analisados pelo NYT.

YouTube não está sozinho

Mas não é só essa rede social que enfrenta o problema. O Twitter, adquirido pelo bilionário Elon Musk em outubro de 2022, também realizou cortes no mesmo sentido, assim como a Meta, dona do FacebookInstagram e WhatsApp.

“Não acho que está tudo acabado, mas perdemos batalhas importantes”, diz Angelo Carusone, presidente da associação Media Matters for America. O ativista descreve o motivmento como uma “fadiga” e “perda de apetite” pelo combate à desinformação após anos de luta.

Confira matéria no Terra

Voltar para Início

Notícias Relacionadas

CNJ reúne charges e desenhos pelo fim da violência contra a mulher
O CNJ apresenta nesta quarta o projeto “Cartoons Contra a Violência”, iniciativa que envolve a publicação de charges e desenhos para conscientizar a população sobre o aumento de casos de violência contra a mulher. O conceito da campanha foi criado pela agência Leo Burnett TM, com apoio da Associação Brasileira de Agências de Publicidade, sem […]
Como funciona o modelo de quatro dias de trabalho semanais?
Há tempos, notícias sobre empresas que reduziram sua jornada e adotaram modelos com quatro dias de trabalho semanais chamam atenção do público. Um caso recente famoso é o do Reino Unido que divulgou um estudo feito com 61 empresas para testar a produtiva com uma redução de jornada. Os resultados foram positivos. As empresas mantiveram […]

Receba a newsletter no seu e-mail